Produção cai e prejudica faturamento da indústria de transformação

"A inflação tem corroído a renda dos trabalhadores e o rendimento médio real apresenta tendência de queda", diz CNI

atualizado 04/10/2021 14:01

CNI trabalho futuro industriaCNI/Divulgação

Dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostram que, em agosto deste ano, o faturamento da indústria de transformação e as horas trabalhadas na produção sofreram queda, com retração acumulada de 6,4% e 4,7% de janeiro a agosto, respectivamente.

O emprego, que apresenta crescimentos mensais desde agosto do ano passado, registrou crescimento de 0,1% no mesmo mês de 2021, na comparação com julho. O crescimento acumulado de janeiro a agosto de 2021 é de 3,8%.

A utilização da capacidade instalada continua elevada, acima de 80%. Esse é o sexto mês em que isso ocorre, algo observado pela última vez em 2014.

“A inflação tem corroído a renda dos trabalhadores e o rendimento médio real apresenta tendência de queda em 2021″, destaca trecho do boletim divulgado nesta segunda-feira (4/10).

Em agosto, o indicador de faturamento real apresentou queda de 3,4% em relação a julho, na série livre de efeitos sazonais. Em relação a agosto de 2020, a queda foi de 0,2%.

Desde o início do ano, o indicador apresenta uma nítida tendência de queda. A variação acumulada em 2021 é de -6,4%, na série dessazonalizada.

O indicador de horas trabalhadas na produção apresentou queda de 0,3% em relação ao resultado de julho, na série dessazonalizada. Desde fevereiro de 2021, o indicador tem apresentado quedas consecutivas na série de variação mensal, com exceção de julho, em que houve estabilidade.

Com o resultado de agosto, o índice volta a um patamar ligeiramente abaixo do observado em fevereiro de 2020 (-0,8p.p.), antes da crise causada pela pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Em 2021, a retração acumulada é de 4,7%.

 

Últimas notícias