*
 

O ex-presidente da Petrobras, Pedro Parente, foi dispensado da quarentena pela Comissão de Ética Pública (CEP), em decisão publicada nesta quinta-feira (14/6). Parente pediu demissão da estatal em 1º de junho e foi convidado para a presidência da BRF.

Cabe à Comissão de Ética Pública da Presidência da República definir se ex-agentes públicos devem passar por uma quarentena antes de assumir cargo na iniciativa privada e Pedro Parente pediu um parecer à CEP neste sentido.

O ex-presidente da Petrobras foi informado de que estava dispensado da quarentena porque a estatal e a BRF não atuam no mesmo ramo. A BRF é uma das maiores empresas de alimentos do mundo, dona de marcas como Sadia, Perdigão e Qualy.

O interstício de 40 dias é aplicado com o objetivo de evitar que ex-agentes públicos levem para o mercado informações privilegiadas sobre o governo. Quanto mais acesso a dados sigilosos, maior o tempo de quarentena. Durante esse período, o ex-funcionário recebe o salário correspondente.

O nome de Parente já era especulado na BRF antes mesmo de confirmada a demissão. Tanto que, logo após divulgada sua saída da estatal, as ações da empresa do ramo alimentício subiram mais de 12%.