PEC da Transição mantém R$ 185 bi em gastos adicionais, diz petista

A informação foi dada pelo líder do PT na Câmara, Reginaldo Lopes (MG). Para ele, a prioridade é garantir o Bolsa Família fora do teto

atualizado 23/11/2022 14:23

Reginaldo Lopes Paulo Sergio/Câmara dos Deputados

O líder do PT na Câmara, o deputado Reginaldo Lopes (MG), afirmou hoje, quarta-feira (23/11), que a PEC da Transição não vai fixar uma nova âncora fiscal. A medida, acrescentou o parlamentar, tem como prioridade garantir a retirada do Bolsa Família do teto de gastos por quatro anos. O valor estimado para tal alteração é de R$ 185 bilhões por ano.

Na prática, segundo o parlamentar, o projeto não difere da minuta apresentada na última semana pelo vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin. A expectativa é que a proposta seja protocolada ainda hoje no Congresso.

Na avaliação de Lopes, qualquer mudança na PEC, como a criação de uma âncora ou variações sobre os valores além-teto, poderá ser discutida em plenário, durante a avaliação do projeto por parte dos parlamentares. Até agora, observou Lopes, não há previsão desse tipo de alteração.

Mais lidas
Últimas notícias