Inflação do aluguel cede, mas acumula ala de 8,39% em 2022

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A taxa de julho é a menor taxa desde novembro de 2021

atualizado 28/07/2022 13:12

prédios em Águas ClarasDaniel Ferreira/Metrópoles

O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M), que é a inflação do aluguel, variou 0,21% em julho, ante 0,59% no mês anterior. Com este resultado o índice acumula alta de 8,39% no ano e de 10,08% em 12 meses.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (28/7) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A taxa de julho é a menor taxa desde novembro de 2021.

No mesmo mês de 2021, o índice havia subido 0,78% e acumulava alta de 33,83% em 12 meses. Na prática, o índice mostra quanto o brasileiro é pressionado pelo custo da moradia.

“Preços de commodities importantes estão cedendo, refletindo os riscos de um cenário macroeconômico pouco animador”, explica André Braz, coordenador dos Índices de Preços, em nota.

Segundo ele, ocorreram recuos importantes, como queda nos preços do minério de ferro e a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Produtos (ICMS).

O IGP-M é conhecido como “inflação do aluguel” por servir de parâmetro para o reajuste de diversos contratos, como os de locação de imóveis.

Mais lidas
Últimas notícias