Guedes diz que “servidor vai ficar trancado com geladeira cheia”

O ministro da Economia defendeu o congelamento de salários do funcionalismo público durante a pandemia de coronavírus

atualizado 27/04/2020 14:13

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu na manhã desta segunda-feira (27/04) o congelamento do salário dos servidores públicos. Para o titular da pasta, a classe é a que menos vai sofrer impacto com a pandemia de coronavírus.

“Precisamos que o funcionalismo público mostre que está com o Brasil, que vai fazer um sacrifício pelo Brasil, que vai ficar em casa trancado, com a geladeira cheia, enquanto milhões de brasileiros estão perdendo emprego”, pontuou.

O ministro já havia ventilado a ideia de mexer no salário dos servidores durante a pandemia, medida fortemente rechaçada pela categoria. O próprio presidente Bolsonaro negou que haverá corte na remuneração.

“Ninguém tira direito, ninguém tira salário, ninguém encosta em nenhum direito que existe hoje, mas, por atenção aos brasileiros, para nos ajudar no combate a essa crise, não peçam aumento por um ano e meio”, enfatizou.

Últimas notícias