*
 

Os dez dias de greve dos caminhoneiros custarão R$ 15 bilhões para a economia, o equivalente a 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB — soma das riquezas produzidas no país), informou nessa terça-feira (12/6) o Ministério da Fazenda. O ministro Eduardo Guardia repassou a estimativa na segunda-feira (11) em reunião com investidores em São Paulo.

Por causa da paralisação, a previsão oficial de 2,5% de crescimento do PIB para 2018 poderá ser revista para índices mais baixos. O número só será divulgado no fim de julho.

Na última edição do boletim Focus, pesquisa com instituições financeiras divulgada todas as semanas pelo Banco Central (BC), os analistas de mercado estimaram que a economia crescerá apenas 1,94% em 2018. Essa foi a sexta semana consecutiva de queda nas projeções. Há um mês, estava em 2,51%.

O ministro não informou o impacto da greve dos caminhoneiros sobre a inflação, por causa da escassez de alimentos e da alta temporária do preço dos combustíveis provocadas pela paralisação. Segundo o boletim Focus, a previsão das instituições financeiras para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 3,65% para 3,82% em 2018. As projeções do Ministério da Fazenda para a inflação também serão divulgadas no fim de julho.