FGTS: saque-aniversário aumentará em 5 vezes crédito consignado

Estudo é da Secretaria da Política Econômica, vinculada ao Ministério da Economia. Juros também deve abaixar, segundo a pasta

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 10/01/2020 8:24

O saque-aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) tem potencial de quintuplicar o volume de crédito consignado para trabalhadores da iniciativa privada, segundo avaliação da Secretaria da Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia.

A nova modalidade começa a ser paga a partir de abril pela Caixa Econômica Federal. O saque-aniversário permite ao trabalhador retirar parte do FGTS todos os anos.

A secretaria estima que a modalidade do FGTS deve criar um mercado de até R$ 100 bilhões em recebíveis de crédito nos próximos quatro anos.

A pasta simula esse cenário, no qual há elevação de R$ 100 bilhões para o crédito consignado. Desse total, cerca de R$ 65 bilhões é por substituição de crédito não-consignado por consignado.

Além do aumento da oferta de crédito pessoal de 7,13% para 7,61% do Produto Interno Bruto (PIB), o cenário aponta para uma redução do comprometimento das famílias com juros em amortizações de 4,5% para 4,41% da economia.

“Destaca-se assim que há uma expansão do crédito consignado privado que passa a ser 5,37 vezes o atual. O seu novo montante (R$ 122,8 bi) representa um aumento do acesso ao crédito das famílias a juros significativamente mais baixos”, informa, em nota.

Isso porque a média de juros do crédito pessoal não consignado será de 2% ao mês, segundo a pasta. Hoje, é de 6,08%.

“Em suma, como os recebíveis de saque-aniversário são uma garantia com risco zero, os juros cobrados serão reduzidos e haverá uma expansão significativa de crédito, com efeitos positivos no crescimento econômico”, avalia a SPE.