Em carta, diretor do BNDES pede demissão a Joaquim Levy

Acusado de ser suspeito e de ligação com o PT, Marcos Pinto é pivô do anúncio de exoneração de Levy, anunciado por Bolsonaro

Foto: Rafaela Felicciano/MetrópolesFoto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 15/06/2019 23:03

Por meio de uma carta, o diretor de Mercado de Capitais do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Marcos Barbosa Pinto, pediu sua demissão ao presidente da instituição, Joaquim Levy. Na carta, Marcos Pinto disse que decidiu deixar o banco de fomento em razão do “descontentamento manifestado” pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) na tarde deste sábado (15/06/2019). As informações são da Globonews.

“Escrevo para apresentar minha renúncia ao cargo de diretor do BNDES. É com pesar que entrego essa carta, logo após ter tomado posse, mas não quero continuar no cargo diante do descontentamento manifestado pelo presidente da República com minha nomeação”, escreveu.

“Tenho muito orgulho da carreira que construí ao longo dos anos, seja na academia, no governo ou no mercado financeiro. Dada minha experiência, achei que poderia contribuir para implementar as reformas econômicas de que o país precisa”, acrescentou Marcos Pinto, pivô do anúncio feito pelo presidente a jornalistas.

Marcos Pinto é mestre em direito pela Universidade de Yale (EUA) e doutor pela Universidade de São Paulo (USP), Ele dirigiu a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e foi chefe de gabinete de Demian Fiocca na presidência do BNDES (2006-2007). Fiocca era considerado, no governo federal, um homem de confiança de Guido Mantega, ministro da Fazenda nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Últimas notícias