Copom inicia sétima reunião para definir taxa Selic

Atualmente, juros básico está em 13,75% e analistas esperam que o BC mantenha neste patamar; decisão do colegiado será anunciada amanhã

atualizado 25/10/2022 10:41

Reprodução/WhatsApp

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) iniciou, nesta terça-feira (25/10), a sétima reunião do ano para definir a taxa básica de juros do país, a Selic. A decisão do colegiado será anunciada amanhã (26/10), no fim do dia. 

O BC trabalha um quadro complexo de informações, após dois recuos consecutivos, do Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de outubro. A prévia da inflação registrou aumento de 0,16% para o mês. O índice acumula alta de 4,80% no ano e de 6,85% nos últimos 12 meses.

Entretanto, para a decisão de política monetária, o BC também avalia uma possível recessão nos Estados Unidos. Conforme os boletins Focus publicados semanalmente pela autarquia, a Selic tende a ficar travada em 13,75% pela segunda vez. Vale lembrar que, em março de 2021, a Selic registrou o menor nível histórico em 2% ao ano. 

Porém, as crises da pandemia e da cadeia de suprimentos e guerra na Europa fizeram o BC mudar os rumos dos juros em meio à inflação. Os analistas de mercado não dão sinais de afrouxamento monetário em meio às incertezas externas e à “indomada” inflação brasileira. 

A última edição do boletim Focus reduziu a previsão de inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 5,62% para 5,6o% em 2022. Em junho, as projeções para o IPCA chegaram a 9%. Mas a Selic no boletim se manteve em 13,75% neste ano e só começaria a ser reduzida no próximo ano. 

Para 2022, a meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,5%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2% e o superior é 5%. Os analistas de mercado consideram que o teto da meta será estourado pelo segundo ano consecutivo.

O Copom se reúne a cada 45 dias. No entanto, por causa do feriado de 2 de novembro, a reunião foi antecipada para a última semana de outubro.

Mais lidas
Últimas notícias