Coronavírus: Caixa não vai cobrar dívidas de clientes por 60 dias

Houve também redução na taxa de juros nas linhas de crédito pessoal do banco, informou o presidente Pedro Guimarães

Raimundo Sampaio/Esp. Metrópoles

atualizado 19/03/2020 11:40

Em medida contra os impactos do novo coronavírus, a Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (19/03) a redução da taxa de juros do crédito consignado para 1,99% ao mês. Além disso, o banco não vai cobrar dívidas de clientes pessoa física pelo prazo de 60 dias.

A redução na taxa de juros ocorreu nas linhas de crédito pessoal. Além do consignado, o penhor foi reduzido para a partir de 1,99% ao mês e o CDC, de 2,17% ao mês.

“Nós entendemos que essa é uma crise gravíssima, que terá impacto não só na saúde, mas na economia”, disse o presidente da estatal, Pedro Guimarães, em coletiva realizada online.

Suspensão de dívidas
O banco informou que vai suspender ainda, por até 60 dias, as operações parceladas de crédito pessoal. Na prática, a suspensão vai ocorrer tanto para novos e antigos clientes, sem a necessidade de comprovar algo.

Segundo Guimarães, a suspensão dessas dívidas terá duração de dois meses. “Nós começamos com esses 60 dias, mas se essa crise continuar e for maior, a Caixa Econômica Federal ampliará o prazo”, disse.

Além disso, o banco reduziu a taxa de juros nas linhas de crédito pessoal e ampliou as linhas de crédito consignado para aposentados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Empresas
Para as micro e pequenas empresas, a Caixa reduziu até 45% dos juros nas linhas de capital de giro. As taxas mínimas serão de 0,57% ao mês.

Disponibilizou ainda a carência de até 60 dias nas operações parceladas de capital de giro e renegociação.

Últimas notícias