Caixa anuncia redução de juros para cartão e cheque especial

O banco prolongou para três meses o prazo pagamento de prestações de empréstimos, inclusive as parcelas da casa própria

Raimundo Sampaio/Esp. Metrópoles

atualizado 26/03/2020 22:19

Ao participar de uma transmissão ao vivo pelo Facebook, ao lado do presidente Jair Bolsonaro (em partido) o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou nesta quinta-feira (26/03) mais uma redução na taxa de juros do cheque especial e do parcelamento do cartão de crédito.

A taxa do cheque especial do banco cairá de 4,9% para 2,9% ao mês. “Uma taxa recorde em termos de ser menor – 41% de redução em relação à taxa que já era a menor do mercado”, anunciou Guimarães.

Segundo o presidente da Caixa, a instituição está analisando reduzir ainda mais esta taxa.

Ele também anunciou a redução para 2,9% da taxa de juros cobrada no parcelamento do cartão de crédito. “Este parcelado é aquele que você entra em 36 meses. Ainda estava alta, em 7,7% ao mês. E nós reduzimos mais de 60%. Também foi para 2,9%”, disse.

Casa própria
Todas as medidas têm o objetivo de ajudar a conter os efeitos da pandemia de coronavírus na economia. A Caixa vai utilizar R$ 33 bilhões para isso, de acordo com Guimarães. Outros R$ 78 bilhões já haviam sido anunciados na semana passada.

Além da redução dos juros, o presidente da Caixa, também informou o aumento de 60 para 90 dias no prazo da pausa para contratos de empréstimos de pessoas físicas e empresas, incluindo contratos habitacionais.

Segundo Guimarães, até o momento 750 mil pessoas deixaram de pedir a postergação do pagamento das parcelas da casa própria. Se for necessário devido à crise do coronavírus, a instituição poderá ampliar novamente este prazo para 120 ou 150 dias.

“Já conversei com o Paulo Guedes (ministro da Economia). Se necessário, ampliaremos para 120 dias, 150 dias”, disse Guimarães.

Santas Casas
De acordo com Guimarães, os novos recursos serão repassados para linhas como capital de giro, compra de carteiras e para Santas Casas, além do crédito agrícola.

“Estamos liberando um total de R$ 60 bilhões em capital de giro, em especial para pequenas e microempresas, R$ 40 bilhões em compra de carteiras, R$ 5 bilhões para Santas Casas e R$ 6 bilhões para a agricultura”.

Últimas notícias