Brasil sofre deflação de 0,31% em abril, o menor índice desde 1998

Dados foram divulgados nesta sexta-feira (08/05) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

atualizado 08/05/2020 9:52

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril foi de -0,31%, a menor variação mensal desde agosto de 1998.

Isso significa que houve uma deflação, ou seja, queda de preços nos produtos oferecidos aos consumidores. A situação foi motivada por uma falta de procura do consumidor, como ocorreu com passagens aéreas, por exemplo.

Os dados foram divulgados na manhã desta sexta-feira (08/05) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O maior impacto negativo veio do grupo transportes. Foi observado um recuo, sobretudo nos preços dos combustíveis (-9%) e de passagens aéreas (-15%).

Por causa da pandemia do novo coronavírus, países de todo o mundo restringiram voos comerciais. No Brasil, não foi diferente. O Aeroporto Nacional de Brasília, por exemplo, apresentou queda de 90% nos voos.

Por outro lado, o grupo alimentação e bebidas foi o que teve a maior contribuição positiva. Assim, o consumidor paga agora um preço maior quando vai ao supermercado.

O grupo dos artigos de residência apresentou a segunda maior variação negativa no índice do mês. O setor foi influenciado pelas quedas dos itens mobiliário e de eletrodomésticos.

No ano, o IPCA acumula alta de 0,22% e, nos últimos doze meses, de 2,4%, abaixo dos 3,3% observados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Últimas notícias