Brasil já tem 1,4 milhão de motoristas e entregadores de aplicativos

Número corresponde a 31% do total de trabalhadores do setor de transportes, segundo o Ipea

atualizado 07/10/2021 17:14

Roberto Parizotti/FotosPublicas

Dos 4,4 milhões de trabalhadores do setor de transporte no Brasil, 1,4 milhão são entregadores e motoristas de aplicativos, de acordo com um levantamento feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado nesta quinta-feira (7/10).

Os dados mostram que, no primeiro trimestre de 2016, o número de pessoas ocupadas no transporte de passageiros, como Uber, 99, entre outros, era de cerca de 840 mil motoristas.

No mesmo período de 2018, o montante chegou a 1 milhão de trabalhadores. Em 2019, o indicador registrou o ápice, com 1,3 milhão de pessoas.

“Por conta da pandemia de Covid-19, houve redução ao longo de 2020, mas o número logo se estabilizou nos dois primeiros trimestres de 2021 em 1,1 milhão de pessoas ocupadas em transporte de passageiros no regime de conta própria, valor 37% superior ao do início da série, em 2016″, diz a pesquisa.

Já para o transporte de mercadorias, o número passou de 30 mil trabalhadores em 2016 para 278 mil no segundo trimestre de 2021, o que representa uma expansão de 979,8% no período.

“Com a ascensão das plataformas de aplicativos para entregas de mercadorias ou transporte de passageiros, é possível perceber que a quantidade de pessoas com empregos não tradicionais (como autônomos e trabalhadores temporários) teve um crescimento exponencial nos últimos anos”, analisou o estudo.

Diante desse cenário, o governo discute regulamentar o trabalho por aplicativo. Empresas como iFood e Uber defendem uma nova legislação que assegure direitos aos entregadores, como aposentadoria e ganhos mínimos.

Últimas notícias