*
 

O dólar comercial fechou esta sexta-feira (8/6) cotado a R$ 3,706, uma queda de 5,59%. O movimento interrompe três altas seguidas ao longo da semana e ocorre um dia depois de a moeda norte-americana ter terminado o pregão vendida a R$ 3,926, a maior cotação desde março de 2016.

A queda é reflexo direto da decisão anunciada ontem (7) pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, de realizar leilões adicionais de contrato de swap cambial, equivalente à venda de dólares no mercado futuro, no valor total de US$ 20 bilhões.

Com o forte recuo, o dólar fecha a semana com desvalorização de 1,6% – mas, no acumulado do ano, a moeda dos Estados Unidos cresceu 11,8% em relação ao real. O índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) encerrou a sexta-feira em queda de 1,23%, com 72.942 pontos. O volume negociado foi de R$ 14.929.502.615.

Na semana, o índice acumulou queda de mais de 5%, com destaque para o fechamento de ontem, quando o Ibovespa caiu 6,5%, alcançando o menor nível desde dezembro de 2017. As ações de empresas de grande porte também registraram baixa hoje, com os papéis preferenciais da Petrobras perdendo 3,24%, Vale com declínio de 6,40% e Bradesco recuando 0,87%.