Após abrir em alta, Bolsa perde os 100 mil pontos com queda em NY

Os temores de arrefecimento da economia seguem no radar dos investidores

Internet/reprodução

atualizado 15/08/2019 11:59

Após buscar fôlego na abertura da sessão de negócios desta quinta-feira (15/08/2019), o Ibovespa virou e, ao renovar mínimas consecutivas, perdeu os 100 mil pontos após índices do mercado acionário em Nova York também passarem a operar pontualmente no negativo. Os temores de arrefecimento da economia seguem no radar dos investidores.

Pouco antes do fechamento deste texto, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) indicou que a produção industrial dos Estados Unidos caiu 0,2% na passagem de junho para julho.

Analistas consultados pelo Wall Street Journal previam alta de 0,1%. Na comparação anual, avançou 0,5%. Junta-se a este contexto, indicador da Organização Mundial do Comércio (OMC) mostrando que o avanço no volume mundial de bens comercializados deverá continuar fraco no terceiro trimestre de 2019.

Também as idas e vindas no âmbito da disputa comercial entre Estados Unidos e China seguem influenciando os mercados. Nesta manhã, os índices futuros dos mercados acionários em NY, que operavam em queda, viraram após porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Hua Chunying, dizer que espera que os EUA “acompanhem o lado chinês e implementem o consenso” comercial alcançado pelos presidentes Donald Trump e Xi Jinping durante a reunião do G20 em Osaka, no Japão.

Também ajudou na melhora do humor o Walmart ter reportado lucro ajustado por ação de US$ 1,27 no segundo trimestre fiscal, acima da projeção de US$ 1,22 de analistas consultados pela FactSet e puxa ações do setor varejista.

Antes disso, os mercados seguiam o tom de mau humor por causa de um comunicado do governo chinês afirmando que reagiria caso o plano de Washington de impor uma tarifa de 10% a mais US$ 300 bilhões sobre produtos chineses se mantivesse, uma vez que violaria consenso alcançado pelos presidentes das duas nações.

“A princípio, os investidores estão olhando atuação do BC, com a venda de dólares no mercado spot. Isso ajudou a puxar um pouco a Bolsa na abertura. A recuperação foi pequena, pois há alerta à queda das commodities, que interferem na nossa Bolsa”, ressalta Luiz Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença Corretora.

As commodities metálicas e o petróleo (entre -1% e -2%) operam em baixa e o minério de ferro recuou 2,51% no porto de Qingdao, na China. As quedas podem influenciar na variação das ações de Petrobras, Vale e siderúrgicas. Por outro lado, o dólar acima do patamar de R$ 4 pode beneficiar as exportações dessas empresas, além de Suzano e frigoríficos.

Últimas notícias