Doria diz que São Paulo não receitará cloroquina contra a Covid-19

O mandatário tucano disse esperar que o governo federal não faça seletividade política dos brasileiros que podem ou não sobreviver

atualizado 18/05/2020 17:19

João Doria, governador de SPReprodução

O governador João Doria (PSDB) afirmou, na tarde desta segunda-feira (18/05), que o estado de São Paulo não vai receitar o uso de hidroxicloroquina para pacientes com sintomas leves de Covid-19 caso a medida seja estabelecida pelo governo federal. O medicamento não tem eficácia comprovada pela ciência, mas é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Quero dizer que não se prescreve receita por decreto. São Paulo não vai aceitar que, por decreto, se estabeleça receituário médico. Nenhuma parte do mundo trata de saúde por decreto ou medida de ordem política”, enfatizou o tucano.

Ainda durante a coletiva, realizada no Palácio dos Bandeirantes, Doria disse esperar que o governo federal não faça seletividade política dos brasileiros que podem ou não sobreviver.

“Tenho a convicção de que isso não será feito. Se for feito, São Paulo vai reagir. Se tivermos um ministro que não respeite a necessidade do estado, o fato de sermos o epicentro da pandemia no país para continuar sem receber respiradores, EPIs, o governo federal estará decretando a morte de pessoas em São Paulo. Contra isso, reagiremos”, enfatizou.

Últimas notícias