“Devolverei em triplo as ameaças e ofensas”, afirma Bebianno

O Diário Oficial não trouxe publicado o ato com a exoneração do ministro, mas uma edição extra pode ser publicada a qualquer momento

Fernando Frazão/Agência BrasilFernando Frazão/Agência Brasil

atualizado 18/02/2019 18:43

Prestes a ser exonerado do cargo após ser chamado de mentiroso pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, afirmou ao portal UOL que sofre ameaças, sem detalhar de quem e de qual natureza. As informações são da coluna BR18, do Estadão.

Segundo o Broadcast Político, o ministro já identificou algumas pessoas e disse que vai tomar providências.

“Sou paciente, chato e obstinado. Tenho muitos amigos também. Dará um certo trabalho, mas devolverei em triplo as ameaças e ofensas [dentro da lei]. Não tenho medo de briga. Não me intimidam”, escreveu Bebianno a Gustavo Maia.

O Diário Oficial da União (DOU) não trouxe publicado o ato com a exoneração do ministro, mas uma edição extra pode ser publicada pelo presidente a qualquer hora.

Nesta segunda-feira (18/2), os filhos de Bolsonaro voltaram a atacar Bebianno nas redes sociais. O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) divulgou um link de um texto que chama o ministro de “traidor” e “funcionário incompetente”.

Com a situação no governo Bolsonaro ainda indefinida, Bebianno segue recluso nesta segunda-feira em um hotel na cidade de Brasília.

Últimas notícias