Delegado sobre esfaqueador de SC: “Não temos o histórico pessoal dele”

Rapaz de 18 anos invadiu uma escola infantil em Santa Catarina e matou cinco pessoas, sendo três crianças, uma professora e uma funcionária

atualizado 04/05/2021 16:05

delegado Jerônimo Marçal Ferreira, responsável pela investigação do ataque a uma escola infantil em SaudadesReprodução/Internet

O delegado Jerônimo Marçal Ferreira, responsável pela investigação do ataque a uma escola infantil em Saudades, município catarinense distante 600 km de Florianópolis, quer saber do histórico comportamental e de saúde mental do jovem de 18 anos que matou matou cinco pessoas, sendo três crianças, uma professora e uma funcionária, na manhã desta terça-feira (4/5). 

Inicialmente, segundo o investigador, o rapaz não tem passagens pela polícia. Agora, familiares serão ouvidos para traçarem o perfil do agressor. “Ainda não temos o histórico pessoal dele”, adiantou.

Jerônimo Marçal, em entrevista coletiva no fim da manhã, contou detalhes da dinâmica do ataque. “Ele começou atacar a professora, que correu para uma sala onde estava as crianças”, destacou.

O cenário do crime é a Escola Infantil Pró-Infância Aquarela, um colégio infantil. “A creche está isolada para perícia”, salientou o delegado.

Segundo informações preliminares da Polícia Civil de Santa Catarina, o jovem usou uma adaga para desferir os golpes.

Confira onde fica Saudades:

Outras vítimas

Segundo o delegado, uma funcionária do colégio chegou a ser socorrida em estado grave. Ela foi levada para Chapecó, distante 70km do local do crime, para receber atendimento médico, mas não resistiu.

Uma quarta criança também foi atingida sem gravidade. “É uma lesão leve a princípio, nada muito grave”, ponderou o delegado.

Confira a cobertura ao vivo do site NSC Total, parceiro do Metrópoles, em Santa Catarina.

Últimas notícias