Defesa de João de Deus apresenta habeas corpus para revogar prisão

Médium divide a cela com três advogados desde a noite de domingo (16/12), quando chegou à cadeia após se entregar e prestar depoimento

atualizado 17/12/2018 16:44

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O criminalista Alberto Toron, defensor do médium João de Deus, protocolou um habeas corpus, na tarde desta segunda-feira (17/12), na Justiça de Goiás com o objetivo de revogar a prisão preventiva do líder espiritual.

João de Deus está no Complexo Penitenciário de Aparecida de Goiâna, a 20 quilômetros da capital de Goiás. Ele divide a cela com três advogados desde a noite de domingo (16), quando chegou à cadeia após se entregar, prestar depoimento e fazer exame de corpo de delito.

Caso o habeas corpus seja negado, a estratégia da defesa será pedir que se adotem medidas cautelares em vez da prisão. Entre as opções cogitadas pelo defensor estão prisão domiciliar, colocação de tornozeleira e a proibição de exercer o próprio ofício.

“São medidas que acautelam o meio social, que preservam a possibilidade da prática de novos crimes, se é que eles existiram, com um método menos invasivo”, explicou Toron.

Últimas notícias