CT do Flamengo: indenizações devem ser definidas na próxima semana

Valores que deverão ser pagos às famílias dos 10 atletas mortos e também aos que ficaram feridos em incêndio

atualizado 15/02/2019 22:00

Tomaz Silva/Arquivo/Agência Brasil

Os valores que deverão ser pagos, a título de indenização, às famílias dos 10 atletas mortos e também aos que ficaram feridos no incêndio do alojamento do Centro de Treinamento do Flamengo, conhecido como Ninho do Urubu, deverão ser definidos até a próxima semana. A informação foi dada pela defensora pública Paloma Araújo Lamego (foto em destaque), que participou, nesta sexta-feira (15/2), no Ministério Público (MP), de reunião da força-tarefa criada para resolver o problema e definir medidas a serem tomadas. O incêndio foi na sexta-feira passada (8).

“A atuação da Defensoria Pública diz respeito à indenização das famílias das vítimas. Com relação ao acordo, a gente já tem várias cláusulas, já consegue ter a maior parte do acordo proposto. Nós teremos uma nova reunião na segunda-feira. E acreditamos que, ainda no início da semana, se tenha o acordo fechado”, disse Paloma Lamego.

Ela informou que a Defensoria se propõe a assessorar as famílias, inclusive as que moram em outros estados, para fazer o atendimento e os acordos individuais, pois cada caso terá um valor calculado, dependendo de parâmetros a serem estabelecidos, que levarão em conta a carreira que o atleta poderia ter exercido ao longo dos anos e os valores salariais que ele poderia receber como profissional.

“Existe um acordo geral, e depois a gente faz os acordos para cada situação. Os valores ainda não estão fixados. A gente criou parâmetros de indenizações. A ideia é que, na segunda-feira, chegue-se a um acordo dos valores mínimos. A carreira do atleta é considerada no estabelecimento do acordo”, disse a defensora.

Segundo Paloma, quem aderir ao acordo não poderá, futuramente, processar o Flamengo. “O acordo é uma resolução que inibe a postura de outras demandas sobre os mesmos temas”, ressaltou.

Todos os dez garotos mortos na tragédia foram identificados. Eles eram adolescentes, com idades entre 14 e 15 anos:

ReproduçãoChristian Esmério, de 15 anos, era goleiro das categorias de base do Flamengo. Ele era uma das maiores promessas desta geração para a Seleção Brasileira. O goleiro adolescente chegou a ser convocado para a seleção diversas vezes em sua categoria, a Sub-20, e já estava sendo cobiçado por clubes do exterior. Em sua conta no Twitter, ele chegou a postar fotos dos treinos com a seleção na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

Reprodução

Arthur Vinicius, de 15 anos, jogava nas categorias de base da equipe. Ele faria 15 anos neste sábado (9/2) e queria comemorar seu aniversário em casa, com a família. O adolescente era de Volta Redonda e morava com a mãe e a tia no bairro Volta Grande. No Flamengo, atuava como zagueiro há três anos. Sobrinho do meia Andinho, que jogou pelo Volta Redonda, o adolescente, no ano passado, foi convocado para a Seleção Brasileira Sub-15.

Reprodução/Redes Sociais

Pablo Henrique da Silva Matos, de 14 anos, era primo do zagueiro Werley, do Vasco. No Flamengo, atuava como zagueiro na categoria de base. Ele era natural de Oliveira, no centro-oeste de Minas. Em nota, a Câmara Municipal de Oliveira lamentou a morte de Pablo Henrique: “O adolescente era mais uma promessa do futebol oliveirense, mas infelizmente teve sua trajetória interrompida na manhã desta sexta-feira”.

 

Reprodução/Instagram
Vitor Isaías, 15 anos, nasceu em Florianópolis. Na categoria de base rubro-negra desde agosto do ano passado, o jovem começou como atleta no futsal da Associação dos Pais e Atletas de Futsal (APAFF), de Florianópolis. Em 2014, foi campeão e artilheiro da Copa Catarinense Sub-11.

 

Reprodução/Instagram
Bernardo Pisetta, 14 anos, nasceu em Indaial, no Vale do Itajaí. Bernardo era goleiro e estreou na base do Flamengo em agosto de 2018. Antes do time carioca, o adolescente também jogou no Athletico-PR e em diversas equipes de futsal do Vale do Itajaí.

 

Reprodução/Redes Sociais
Athila Paixão, 15 anos, natural de Lagarto (SE). O garoto era atacante e começou treinando na escolinha Geração Futuro, na cidade de Lagarto. Ele viajou ao Rio de Janeiro para fazer testes no Flamengo no dia 28 de março de 2018. No dia 9 de abril, ele recebeu a notícia de que foi aprovado nos testes e ficou no clube carioca.

Reprodução

Jorge Eduardo era natural de Além Paraíba (MG) e vestia a camisa 5. O adolescente, que atuava como volante, começou a jogar futebol aos 7 anos, no Democrata de Além Paraíba, projeto mantido pela Associação de Pais e Amigos do clube. Ele chegou em 2016, aos 12 anos, às categorias de base do Flamengo. Era um dos líderes e capitão da equipe campeã carioca Sub-15 em 2018. Neste ano, começaria na categoria Sub-16.

Reprodução

Samuel Thomas Rosa era lateral-direito do Flamengo e, atuando nessa posição, foi campeão carioca Sub-15 com a equipe em 2018. Sua família era natural de São João de Meriti, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Reprodução

Gedson Santos, de 14 anos, nasceu na cidade de Itararé, no interior de São Paulo. Ele começou jogando nas categorias de base do Athlético Paranaense, onde ficou até o ano passado. Em 2017, foi campeão da Taça Curitiba na categoria sub-15.

Reprodução

Rykelmo de Souza Viana tinha 16 anos e era natural de Limeira, cidade no interior de São Paulo. Ele jogou pelo time de sua cidade-natal, o Limeira Futebol Clube e destacou-se no Campeonato Paulista antes de chegar ao Flamengo. Foi campeão estadual sub-16 em 2018.

Últimas notícias