Covid-19: validade dos testes estocados será renovada, diz Pazuello

Questionada pelo Metrópoles, a Anvisa informou que não há ainda definição de mudança no prazo de validade dos testes

atualizado 02/12/2020 15:30

José Dias/PR

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse na manhã desta quarta-feira (2/12) que o prazo de validade dos 7 milhões de testes para diagnóstico de Covid-19, estocados em um armazém em Guarulhos e com prazo de validade próximo ao fim, será renovado.

O chefe da pasta afirmou que o processo de renovação é realizado “há muito tempo” entre a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Seegene, empresa fabricante dos exames.

Pazuello disse que o prazo de validade de oito meses, estabelecido no momento da compra dos testes, foi definido de forma “emergencial”. Segundo o ministro, os componentes dos testes têm validade “muito mais estendida” e a Anvisa já iniciou o processo de revalidação dos exames.

“As discussões técnicas com a Anvisa não são de agora. O processo vem caminhando, começou há muito tempo. Já vem sendo tratado com a empresa e a Anvisa”, disse Pazuello.

Questionada pelo Metrópoles minutos após a declaração de Pazuello, a agência informou que o assunto ainda estava em análise e “sem definição”. No entanto, depois da repercussão do assunto, a Anvisa emitiu uma nova nota informando que recebeu, na terça-feira (1º/12), um ofício do Ministério da Saúde solicitando a extensão do prazo de validade dos testes.

Segundo a agência, depois de receber o documento, foram pedidas à Saúde informações técnicas para avaliar a mudança nas datas de vencimento dos testes. O levantamento da pasta ainda não foi entregue à Anvisa. Leia trecho da nota a seguir.

No mesmo dia 1º/12, representantes da Anvisa realizaram reunião com o Ministério da Saúde para esclarecer a diligência realizada à pasta, tendo sido ressaltado que se tratam de informações fundamentais para que a Agência possa efetivamente proceder à análise da solicitação apresentada pelo Ministério da Saúde. Na mesma ocasião fora entregue cópia do Ofício encaminhado pela Anvisa.

Portanto, até a presente data, a Anvisa aguarda a apresentação das informações pelo Ministério da Saúde, de maneira que possa proceder à análise da solicitação excepcional em comento.

 

0

O anúncio de Pazuello ocorreu durante uma audiência pública organizada por parlamentares do Senado Federal que cobraram esclarecimentos sobre o estado dos testes estocados. O evento teve início às 9h30. O ministro não participou da audiência até o final, pois tinha uma agenda com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O secretário nacional de Vigilância Sanitária, Arnaldo Correia, também participou da audiência. Ele disse que os 7,077 milhões de testes foram comprados por meio de um fundo da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) no dia 24 de abril.

Desse total, 2,8 milhões teriam validade prevista para o mês de dezembro. O restante teria a validade finalizada entre janeiro a março de 2021, de acordo com o secretário.

Arnaldo disse ainda que o Ministério da Saúde solicitou, na época da compra, quo prazo original fosse prorrogado e que a Seegene preparou um estudo sobre revalidação. O material teria sido enviado à Anvisa.

Segundo o secretário, a Saúde espera um posicionamento da agência até o fim da próxima semana.

“O pedido já foi protocolado com a Anvisa e a gente acredita que dentro de uma semana nós já tenhamos resposta definitiva, de modo que isso não comprometerá nenhuma validade dos testes RT-PCR”.

 

 

 

 

 

Últimas notícias