Corregedoria do Rio afasta policial que atirou em protesto de mulheres

O corregedor da Polícia Civil do Rio, Paulo Passos, anunciou que abriu investigação contra o policial. Ele também teve a arma recolhida

atualizado 11/05/2021 15:28

Rio de Janeiro – O corregedor da Polícia Civil do Rio, Paulo Passos, determinou o afastamento do inspetor Helio Victor de Souza Pereira, que interrompeu um protesto organizado por mulheres em Paraty, região da Costa Verde, nesta terça-feira (11/5). Também anunciou o recolhimento da arma, carteira e distintivo dele.

Pelo ato, o agente pode até ser demitido da instituição.

“Ele vai prestar depoimento na Corregedoria. Mas já tomamos todas as medidas necessárias, como o afastamento dele do cargo. Em razão do que ocorreu, a punição pode chegar até a demissão”, explicou Paulo Passos.

De acordo com a 167ª DP (Paraty), um procedimento foi instaurado para apurar a conduta do policial. O delegado titular da unidade deve se reunir com as representantes do movimento para ouvir e conversar sobre a manifestação.

A manifestação pedia a criação do Observatório de Feminicídio no município. Vídeos mostram que ele atirou duas vezes para dispersar as manifestantes. Ninguém se feriu.

Veja as imagens:

As mulheres faziam uma manifestação pacífica, com gritos e cartazes. O policial, então, saiu da delegacia e atirou no chão. No vídeo também é possível ver que ele retirou cartazes colados na parede da delegacia.

O protesto foi motivado principalmente pelo caso de um homem que tentou estuprar duas mulheres no último dia 3 de maio, na praia de Antigos, a cerca de 35 km de Paraty. As manifestantes cobram uma punição dura contra o suspeito.

Últimas notícias