Coronavírus: aviões da FAB partem para resgatar brasileiros

As aeronaves deixaram a Base Aérea de Brasília rumo a Wuhan, na China, epicentro do surto internacional da doença

Michael Melo/Metrópoles

atualizado 05/02/2020 15:48

Dois aviões VC-2 da Força Aérea Brasileira (FAB), normalmente usados no transporte presidencial, partiram de Brasília poucos depois do meio-dia desta quarta-feira (05/02/2020) com a missão de resgatar 34 brasileiros na cidade de Wuhan, na China, epicentro do surto internacional de coronavírus.

 

0

A missão teve início oficial nessa terça-feira (04/02/2020), quando dois jatos Legacy da FAB partiram para Varsóvia, na Polônia, com tripulantes que farão o revezamento do serviço de voo, uma vez que serão 62 horas ininterruptas de trabalho.

Na ida, os VC-2 farão paradas técnicas em Fortaleza (CE); Las Palmas, na Espanha; Varsóvia; e Ürümqi, na China – antes de chegar a Wuhan, na sexta-feira (07/02/2020).

O número de passageiros a serem resgatados pode aumentar ou diminuir, pois a vinda ao Brasil é voluntária.

Na volta, a comitiva de resgate deve passar pelas mesmas paradas e chegar a Anápolis (GO) entre 2h e 6h de sábado (08/02/2020).

A previsão é que civis resgatados, militares, servidores do Itamaraty e 14 médicos fiquem em quarentena por 18 dias na base aérea da cidade goiana.

A medida tem o objetivo de impedir a propagação do coronavírus no Brasil.

Segundo o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, “apenas quem não apresentar nenhum sintoma poderá embarcar”, por questões de segurança.

Os brasileiros a serem resgatados já estão sendo monitorados na China e, em princípio, não estão doentes, mas passarão por mais testes antes do voo de volta. “A resposta do governo a essa crise foi rápida”, disse o ministro da Defesa em conversa com jornalistas na pista da Base Aérea.

Últimas notícias