Com enchentes, pandemia e dengue, Acre decreta estado de emergência

Além disso, crise migratória na fronteira com Peru preocupa. Governador anunciou que irá a Brasília para audiências com ministros

atualizado 16/02/2021 16:40

Gladson CameliArquivo/Secom

O governador do Acre, Gladson Cameli (PP), anunciou nesta terça-feira (16/2) que vai decretar estado de emergência no estado em razão das enchentes dos rios, problemas com a pandemia de Covid-19, surto de dengue e crise migratória na fronteira com o Peru.

O estado de emergência é decretado quando a unidade federativa se encontra em uma situação inesperada que compromete parcialmente a capacidade de resposta do poder público.

Rios do estado transbordaram na capital, Rio Branco, e nas cidades de Tarauacá, Cruzeiro do Sul, Feijó, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Rodrigues Alves.

Como consequência das enchentes, mais de 100 famílias estão desabrigadas na capital e no interior. Os moradores foram levados para abrigos montados em escolas, igrejas, ginásios, quadras esportivas e barcos. Cameli disse que vai encaminhar cestas básicas às famílias atingidas pelas enchentes.

As enchentes ocorrem em um momento em que a pandemia de Covid-19 atinge patamares preocupantes no Acre. Segundo boletim da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) de segunda-feira (15/2), 53.455 pessoas contraíram o novo coronavírus desde o início da pandemia. O total de mortes no estado é de 931. A população do Acre é de 790 mil habitantes.

Ao mesmo tempo, o estado registrou um aumento de 123,1%% nas notificações de dengue entre janeiro e o início de fevereiro de 2021, na comparação com o mesmo período de 2020.

Foram 8.626 casos suspeitos de dengue, dos quais 1.552 (18%) foram confirmados, 1.721 (20%) descartados, 5.353 (62%) estão em investigação, aguardando confirmação ou descarte.

Crise na fronteira

Assis Brasil, município que faz fronteira com o Peru, vive hoje uma crise migratória com centenas de pessoas tentando atravessar a Ponte da Integração em direção ao país vizinho. A cidade é também a que conta com o maior número de infectados pela Covid-19 no Acre, em termos proporcionais.

Segundo o governo, quase 400 pessoas de diversas nacionalidades, principalmente haitianos, tentam sair do Brasil em direção ao Peru, que fechou a fronteira. Os imigrantes então montaram um acampamento na Ponte da Integração, na Estrada Intereoceânica, e se recusam a sair dali.

Agenda em Brasília

O governador adiantou que irá a Brasília nesta semana para se reunir com os ministros da Economia, Paulo Guedes, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Últimas notícias