Cinegrafista da GloboNews é agredido por bolsonarista em Aparecida

Agressor é professor da rede pública em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. "Se eu pudesse, matava vocês", disse aos jornalistas

atualizado 12/10/2021 23:34

Reprodução/Twitter

Uma equipe de jornalistas da GloboNews foi intimidada por um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na tarde desta terça-feira (12/10) em Aparecida, no interior de São Paulo. A cidade abriga o Santuário de Nossa Senhora Aparecida, visitado por Bolsonaro nesta terça, dia da padroeira. O repórter cinematográfico Leandro Matozo (imagem em destaque) foi agredido pelo bolsonarista com uma cabeçada. O agressor foi identificado como um professor da rede pública de Mogi das Cruzes, também em São Paulo.

As vítimas reclamaram do comportamento da equipe da Polícia Militar local que atendeu à ocorrência. “Registramos uma ocorrência na PM, que não quis conduzir o agressor para a delegacia para não ‘prender a viatura’ no DP, alegando uma tal resolução 150. O agressor foi liberado antes mesmo que nós e ainda pegou carona no carro da PM para voltar ao santuário”, disse o repórter Victor Ferreira em postagem no Twitter.

Veja as postagens do jornalista da GloboNews na noite desta terça:

De acordo com o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, o agressor se chama Gustavo Milsoni e trabalha como professor na Escola Estadual Cid Boucault, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo.

Ainda segundo o sindicato, o agressor ofendeu a equipe com xingamentos e fez ameaças: “Se eu pudesse, matava vocês”, teria dito. A cabeçada, que causou sangramento no nariz do repórter cinematográfico, foi desferida pelo bolsonarista já na presença de PMs.

“O ato covarde se insere num contexto de intimidação cada vez mais recorrente de profissionais de imprensa que estão nas ruas para cumprir a função social de levar informação às pessoas”, escreveu o perfil do sindicato nas redes.

Veja parte do posicionamento:

 

Últimas notícias