Caso Marielle: delegado diz que quadrilha não participou do crime

Grupo de matadores do Rio chegou a ser interrogado pela polícia, mas envolvimento foi descartado após investigações

atualizado 30/06/2020 12:57

O delegado titular da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), Daniel Rosa, disse nesta terça-feira (30/06) que a principal quadrilha de matadores de aluguel do Rio de Janeiro não participou dos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSol) e do motorista Anderson Gomes. A informação é do jornal O Globo.

O bando foi alvo de uma operação das Polícias Civil e do Ministério Público do Rio. A Polícia Civil só descobriu a existência de integrantes do grupo de matadores de aluguel que atuava no Rio, há mais de 10 anos, justamente por causa das investigações do Caso Marielle.

Ao tentar buscar os autores dos homicídios da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes, os investigadores ouviram três deles, em agosto de 2018. No entanto, a partir de outubro daquele ano, após denúncia anônima para a DHC apontando o sargento reformado Ronnie Lessa como assassino da parlamentar, a atuação do bando foi descartada.

Últimas notícias