Carreata em São Paulo pede impeachment de Bolsonaro

"Bolsonaro escolheu enfrentar a pandemia desta maneira. Agora é hora de ser responsabilizado", diz o Vem pra Rua

atualizado 24/01/2021 12:28

Carreata organizada pelo MBL e o movimento Vem Pra Rua, contra o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da saúde Eduardo PazuelloFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – Pelo segundo dia seguido, motoristas de São Paulo foram às ruas protestar contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O grupo pede o impeachment do mandatário e a demissão do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pela condução de políticas públicas na pandemia do novo coronavírus.

Neste domingo (24/1), a carreata, organizada pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo Vem pra Rua, teve concentração na praça Charles Miller, em frente ao Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, mais conhecido como Pacaembu.

Veja fotos:

0

Entre os presentes, estava o deputado Alexandre Frota (PSDB-SP), um dos ex-apoiadores do presidente, que agora denuncia as irregularidades do governo.

No chamado para o protesto, o MBL diz que é “hora de mostrar nossa revolta contra o maior estelionato eleitoral da história”. Em entrevista ao Metrópoles, um dos líderes do movimento, o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), afirmou que a carreata serve, entre outros, para medir a adesão popular ao impeachment. Para ele, cada vez mais se criam condições para abertura do processo.

Já o Vem pra Rua enfatiza a quantidade de mortes causadas pela pandemia de coronavírus. “Depois de 210 mil mortos, ainda tem gente condescendente com o governo, como se fosse uma questão de evitar novos erros daqui pra frente. Bolsonaro escolheu enfrentar a pandemia desta maneira. Agora, é hora de ser responsabilizado, bebê”, diz o grupo.

No sábado, na capital paulista, foi a vez de movimentos mais ligados ao campo progressista irem às ruas. Em locais como no Centro, os moradores se juntaram à carreata com panelaços.

Últimas notícias