Candidatos à presidência da Câmara batem-boca sobre crise em Manaus

Baleia Rossi (MDB) pede a convocação do Congresso. Arthur Lira (PP) e seu candidato a vice denunciam "atitude eleitoreira"

atualizado 17/01/2021 15:48

Najara Araujo/Câmara dos Deputados

O colapso na saúde pública no Amazonas virou munição para um bate-boca virtual entre as chapas que disputam a presidência da Câmara dos Deputados na noite deste sábado (16/1). Quem provocou primeiro foi o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), que se posiciona como um candidato independente do governo federal. Ao defender a convocação do Congresso, Rossi tentou jogar o governismo no colo do adversário, Arthur Lira (PP-AL). Veja:

Na resposta, Lira, que é mesmo o candidato favorito do governo Jair Bolsonaro, acusou o adversário de ser “bravateiro” e ainda alfinetou o ainda presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aliado de Rossi, de não ter se esforçado por votações antes do início do recesso parlamentar, que vai até o fim de janeiro.

Maia defende que se convoque ao menos os parlamentares da comissão mista que acompanha as ações referentes ao coronavírus e já fez um apelo nesse sentido ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), ainda sem resposta. O movimento tem o apoio de outros parlamentares, como o senador Confúcio Moura (MDB-RO), que preside essa comissão.

Veja a postagem de Arthur Lira:

Candidato a uma posição na Mesa Diretora na chapa de Lira, o deputado federal Marcelo Ramos (PL), que é do Amazonas e está em Manaus durante essa crise, fez um apelo mais duro pela não politização do “drama das pessoas”. Veja a postagem do político:

Cenas da crise sanitária em Manaus:

0

Últimas notícias