Campeã de jiu-jítsu é a primeira criança vacinada contra Covid no Rio

Marion Timóteo, de 11 anos, é moradora do Morro da Providência, no centro do Rio. Ela foi vacinada com uma dose da Pfizer

atualizado 17/01/2022 14:12

Marion Timoteo, 11 anos, primeira vacinada no RioAline Massuca/ Metrópoles

Rio de Janeiro – A cidade do Rio de Janeiro deu início à vacinação contra a Covid-19 de crianças entre 5 e 11 anos nesta segunda-feira (17/1) com os imunizantes da Pfizer , que chegaram ao estado na última sexta-feira (14/1).

A primeira criança vacinada no município foi Marion Timóteo, de 11 anos, vice-campeã pan-americana de jiu-jítsu e moradora do Morro da Providência, favela no centro da cidade do Rio.

0

“Agora eu estou melhor do que antes”, disse a menina, após receber a dose de vacina. “Eu pensei que ia doer, só que eu não senti nada. Valeu a pena.”

Marion levou várias de suas medalhas no momento da vacinação.

Maria Cláudia Cabral Timóteo, 50 anos, mãe de Marion, contou que o padrasto dela morreu de Covid. E falou sobre o alívio de ver também a filha vacinada. “É a melhor sensação possível. Graças a deus chegou a vez dela. Todo mundo em casa já tinha vacinado. Esse era um momento muito esperado.”

Prefeito faz apelo aos pais

A menina Marion recebeu o imunizante da Pfizer em um ponto de vacinação no Museu do Amanhã, no centro do Rio. O prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, acompanharam no local o início da vacinação.

“Eu vim aqui pra fazer um apelo aos pais cariocas acreditem na ciência, as pessoas estão deixando de morrer por causa da vacina. Então, não não brinquem com a vida dos seus filhos, né? Isso aqui é o mais precioso que todos nós temos”, ponderou Paes, após o início da vacinação no Museu do Amanhã. “Eu quero pedir a todo pai dessa cidade, toda mãe, todo responsável por qualquer criança, né? Que leve seus filhos pra vacinar.”

Confira o calendário:

Na semana passada, Daniel Soranz já havia mencionado que o imunizante da Pfizer, único autorizado até o momento para a faixa etária, se mostra muito seguro e já foi aplicado em mais de 14 milhões de crianças pelo mundo, em países como Estados Unidos, Canadá, Israel e Austrália.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a cidade do Rio de Janeiro tem capacidade para vacinar 130 mil crianças por dia. No entanto, não será possível imunizar todas as 560 mil crianças cariocas da faixa etária inicial no mês de janeiro, devido à falta de doses. A campanha será escalonada, em quatro semanas.

A pasta afirma também que não haverá grupo prioritário para a campanha infantil e a ordem a ser seguida é a etária.

Quem pode se vacinar na cidade do Rio

Nesta segunda-feira (17/1), podem se vacinar meninas de 11 anos. Na terça (18/1), é a vez dos meninos também de 11. A quarta-feira (19/1) é reservada para a repescagem.

Na quinta (20/1), sexta (21/1) e sábado (22/1), crianças de 10 anos podem comparecer aos postos, seguindo a mesma lógica: meninas primeiro, meninos no dia seguinte, e repescagem para os que não compareceram no terceiro dia reservado para a idade.

A previsão da prefeitura é que até 29/1 todas as crianças entre 8 e 11 anos estejam imunizadas com a primeira dose da vacina.

Recebimento de doses

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) recebeu, na madrugada de sexta-feira (14/1), 93.500 doses de vacina infantil contra a Covid-19 enviadas pelo Ministério da Saúde.

A previsão é que, a partir desta segunda-feira (17/1), todos os municípios possam dar início à campanha. A meta é vacinar cerca de 1,5 milhão de crianças de 5 a 11 anos em todo estado. A recomendação da Secretaria Estadual de Saúde (SES) é que sejam vacinadas, primeiro, crianças com comorbidades e indígenas, seguidas das faixas etárias do mais velho ao mais novo.

Mais lidas
Últimas notícias