Calado nas férias, Guedes encontra dólar em alta e bolsa em queda

Depois de boatos de saída, ministro descansa uma semana e volta após agravamento do coronavírus e piora em indicadores econômicos

atualizado 01/03/2020 12:53

Termina neste fim de semana o período de férias concedido ao ministro da Economia, Paulo Guedes, pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Nos cinco dias úteis de descanso, o “Posto Ipiranga” permaneceu calado enquanto o mercado turbulento expôs algumas fragilidades do Brasil.

Na folga de cinco dias úteis do ministro, o dólar subiu de R$ 4,39 para R$4,48, recorde nominal da moeda dos Estados Unidos. A bolsa caiu de 113 mil para 104 mil pontos nesse período e, com isso, o índice Ibovespa teve uma redução de 8,37%, pior resultado semanal desde agosto de 2011.

Guedes pediu a semana de repouso depois de boatos de que ameaçara sair do governo. Não se sabe quais foram suas reflexões, mas agora precisará de disposição dobrada para enfrentar as complicações na economia, agravadas pelas incertezas provocadas pelo coronavírus.

Como o ministro não revelou para onde foi, alimentou a curiosidade nas redes sociais. Alguns internautas perguntaram, por exemplo, se ele viajou para Cachoeiro de Itapemirim (ES), cidade citada por Guedes no discurso em que reclamou de empregadas domésticas passarem férias na Disney.

 

Últimas notícias