Cadela morre após proteger criança de 8 anos em ataque de pit-bull

Lilica entrou na frente de Larah Milano após um cão da raça pit-bull ter fugido de casa e tentado atacar a criança. Polícia investiga o caso

atualizado 18/05/2021 14:16

Larah e LilicaReprodução/ Arquivo pessoal

A cadela Lilica, da raça shih-tzu, de 6 anos, morreu na tarde dessa segunda-feira (17/5) por conta de ferimentos sofridos após o ataque de um pit-bull. No último domingo (16/5), a cachorra entrou na frente da dona, Larah Milano, de 8 anos, para salvar a menina do ataque. O caso aconteceu em Bauru, município de São Paulo.

Segundo a família relatou ao portal JCNET.com, a criança brincava na calçada com os dois cachorros, Lilica e Bola. Neste momento, o cachorro pit-bull do vizinho fugiu e foi em direção à Larah.

“Nessa hora, a Lilica entrou na frente e o cachorro pegou ela pelo pescoço. E o Bola, que é filho da Lilica, começou a avançar no pit-bull para ele soltar. Eu entrei em desespero. Não sabia se gritava por ajuda, se gritava para o pit-bull soltar a Lilica ou se colocava o Bola para dentro, com medo de ele ser atacado também”, relata Thaynara Milano de Souza, de 26 anos.

Por conta dos gritos, os vizinhos saíram de suas casas para ajudar.

“Tentaram de tudo para fazer o pit-bull soltar. Jogaram água, objetos. Ele chegou a correr carregando a Lilica por duas quadras, até que um homem passou de carro e falou para agarrar o pescoço, que ele soltaria. E um outro homem conseguiu se aproximar e fazer isso. O pit-bull soltou a Lilica e correu de volta para a casa dele”, continua Thaynara.

A psicóloga afirmou que o dono do animal não estava em casa no momento do ocorrido.

Lilica ficou com diversos cortes e perfurações pelo corpo. Segundo Thaynara, a cadela parecia bem, mas morreu após sofrer uma parada cardíaca.

Polícia

Thaynara relatou que é a terceira vez que o mesmo animal ataca outro cachorro na rua. Entretanto, é a primeira que um pet morre por conta dos ferimentos.

A psicóloga afirmou que um boletim de ocorrência foi registrado para responsabilizar o dono do pit-bull.

O advogado Ricardo Henrique da Silva, que representa o dono do animal, afirma que o caso foi uma fatalidade e que esta é a primeira vez que o pit-bull ataca um outro cachorro, indo contra o relato da família.

“Assim que meu cliente soube da situação, foi imediatamente até o local e se colocou à disposição para arcar com todos os custos veterinários. Além disso, ele está verificando porque o portão abriu, já que ele tinha trancado quando saiu para trabalhar”, afirma.

O delegado Dinair José da Silva, da Polícia Civil de Bauru, afirma que o dono do animal pode responder por omissão de cautela.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

Mais lidas
Últimas notícias