Cabo é expulso dos bombeiros suspeito por desviar R$ 92 mil de boletos

Militar de Goiás alterava boletos bancários desde 2017 para que valores de pagamentos de taxas caíssem em sua conta bancária, segundo o MPGO

atualizado 05/07/2022 16:38

cabo bombeiro leonardo catalao expulso desvioReprodução/TV Anhanguera

Goiânia – O cabo Leonardo Mariano Reis, de 38 anos, foi expulso do Corpo de Bombeiros de Goiás por suspeita de desviar R$ 92,2 mil reais do Fundo Especial Municipal para o Corpo de Bombeiros (Fembom) do município de Catalão, no sudeste goiano.

Segundo o Ministério Público, o militar fazia alterações nos boletos de pagamentos de taxas, de uma forma que direcionava os valores dos pagamentos das taxas para ele mesmo.

Isso teria sido possível, porque o sistema que emitia os boletos do Corpo de Bombeiros de Catalão havia sido criado pelo próprio cabo Leonardo. Ele começou a carreira na área de vistoria, mas logo se destacou na emissão de boletos por ser considerado bom em informática.

Suspeita

De acordo com as investigações, o militar chegava a alterar o código de barras dos boletos. Algumas empresas começaram a fazer reclamações de que teriam feito o pagamento, mas seus nomes teriam “ido a protesto”, como se não tivessem pagado.

Essas empresas que reclamaram apresentaram então comprovantes de pagamento que demonstravam que o valor pago tinha ido para outra empresa, ligada ao militar. O correto era que esse valor fosse depositado no fundo municipal para os bombeiros, o Fembom.

Diante das suspeitas, um inquérito policial militar (IPM) foi aberto. Um levantamento em diversos comprovantes desde 2017 demonstrou um desvio de R$ 92,2 mil. Leonardo foi excluído da corporação em setembro de 2021, “a bem da ética e disciplina”, segundo comunicado no Diário Oficial.

O Metrópoles não conseguiu contato com o ex-cabo e a defesa dele até a publicação deste texto. O espaço segue aberto para manifestações.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias