Brumadinho: número de mortos sobe para 99 e ainda há 259 desaparecidos

O novo balanço foi divulgado nesta quarta-feira (30/1); os peritos criminais que atuam na região identificaram 57 corpos

atualizado 30/01/2019 19:40

Igo Estrela/Metrópoles

Enviados especiais a Brumadinho – Subiu para 99 o número de mortos em decorrência da tragédia com o rompimento da barragem em Brumadinho (MG). De acordo com a Defesa Civil, 259 pessoas permanecem desaparecidas neste sexto dia de resgates no local da catástrofe.

Divulgado no final da tarde desta quarta-feira (30/1), o novo balanço também indicou que 57 corpos encontrados desde o início das buscas foram devidamente identificados. Segundo o comando da operação, 393 pessoas inicialmente dadas como desaparecidas tiveram o paradeiro confirmado, sendo 222 dessas funcionários da mineradora Vale, responsável pela barragem que se rompeu.

Desde o desastre com a barragem da Mina Córrego do Feijão, da Vale, na última sexta-feira (25), 192 pessoas foram resgatadas com vida. Desde sábado (26), os socorristas não encontram sobreviventes. Os trabalhos desta quarta foram prejudicados por fortes chuvas.

A Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar reforçaram as equipes para intensificar as buscas. Agentes de cidades próximas e de outros estados do Brasil foram enviados para dar apoio no trabalho. Uma equipe de Israel, formada por militares especializados em resgate após catástrofes, também está no local desde segunda-feira (28).

Tragédia
A barragem Córrego do Feijão rompeu-se no início da tarde de sexta-feira (25/1) e, desde então, equipes trabalham para encontrar as vítimas da tragédia. O porta-voz do Corpo de Bombeiros, Pedro Aihara, disse na terça (29) que haveria avanços nesta quarta-feira (30).

O vazamento de lama fez com que uma outra barragem da Vale transbordasse. O restaurante da companhia foi soterrado, assim como o prédio administrativo da mineradora.

A lama se espalhou pela cidade, e moradores precisaram deixar suas casas. Equipes de bombeiros e da Defesa Civil foram mobilizadas para a área e estão em busca de vítimas. Tanto o governo federal quanto o local (do município e do estado) montaram gabinetes de crise e deslocaram autoridades para a região. Até agora, 81 mortes foram confirmadas e 19 corpos estão identificados.

Segundo o porta-voz do Corpo de Bombeiros, apesar de remota, ainda existe a possibilidade de os socorristas encontrarem pessoas com vida. Eles têm usado cajados e se arrastado pela lama em busca de sobreviventes e corpos. A estimativa é que os trabalhos durem ao menos até julho. Os bombeiros explicam que o serviço está sendo feito em etapas.

Veja imagens da tragédia:

 

0

 

Gui Prímola/Metrópoles

Últimas notícias