Bombeiro sobre família soterrada: “Via pneu e cadeirinha de criança”

A tragédia resultou na morte de 5 pessoas da mesma família, em Brumadinho (MG). Bombeiros relatam que veículo estava "completamente torcido"

atualizado 11/01/2022 18:32

Família morreu em soterramento em BrumadinhoReprodução/Redes Sociais

Um deslizamento de encosta em Brumadinho (MG), durante as chuvas de sábado (8/1), matou cinco pessoas da mesma família soterradas dentro de um veículo no Retiro do Chalé. Os corpos foram encontrados só na segunda-feira (10/1).

Os bombeiros que participaram da operação de resgate relataram que o veículo estava “completamente torcido”, e que avistaram um pneu e uma cadeirinha de criança assim que começaram as buscas no local.  Todas as vítimas eram parentes do secretário de Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino.

“O carro estava completamente soterrado. A gente via uma parte de metal retorcido, o pneu, uma cadeirinha de criança, com parte do membro inferior dessa criança, que era uma das vítimas, e a partir disso começamos as buscas nesse local”, disse um dos bombeiros. “Vimos que as vítimas estavam com cinto de segurança, só a última que ainda não temos certeza, o que facilitou o trabalho de buscas. Estavam muito próximas umas das outras.”

Os familiares notificaram as autoridades sobre o desaparecimento das vítimas no sábado, quando tiveram o último contato com o grupo.

Eles saíram de Cândido (MG) e seguiam para o Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte. A família pegou um desvio na BR-040, na Grande BH, em razão de um bloqueio na rodovia causado pelo transbordo da barragem da Vallourec, na altura de Congonhas.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz da corporação em MG, o último corpo encontrado estava a cerca de um metro de profundidade e será encaminhado à Polícia Civil para perícia.

0

As vítimas foram identificadas como Geovane Vieira Ferreira, 42 anos; Henrique Alexandrino dos Santos, 41 anos; Deisy Lúcia Cardoso Alexandrino Santos, 40 anos; Vitor Cardoso Alexandrino Santos, 6 anos; e Ana Alexandrino Santos, 3 anos. Henrique era primo de Ismael Alexandrino, que fez um apelo em suas redes sociais para localizar seus parentes.

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul publicou uma homenagem à família vítima da tragédia. Deisy Lúcia foi professora da instituição por seis anos.

“A professora Deisy deixa seu legado na UEMS, embora tenha atuado por apenas quase seis anos, demonstrou ser uma profissional de altíssimo nível, e uma pessoa capaz de colaborar com o crescimento coletivo. A família que conhecemos do curso de agronomia de Aquidauana lamenta estas perdas, e eleva aos familiares e amigos nosso profundo pesar”, diz o texto.

De acordo com informações da Defesa Civil de Minas Gerais, dos 853 municípios do estado, 145 decretaram estado de emergência até a manhã dessa segunda-feira devido às fortes chuvas que atingiram a região nos últimos dias. A expectativa é de que o número aumente.

Tragédia de Brumadinho

No dia 25 de janeiro de 2019, a barragem de rejeitos de minério da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), administrada pela empresa Vale, se rompeu. O acidente resultou em um dos maiores desastres ambientais no Brasil. A tragédia causou a morte de mais de 270 pessoas.

Mais lidas
Últimas notícias