Bolsonaro sobre ataques no Sri Lanka: “Extremismo deixa morte e dor”

Nas redes sociais, o presidente da República condenou os atos terroristas

Rafaela Felicciano/ MetrópolesRafaela Felicciano/ Metrópoles

atualizado 21/04/2019 11:38

Uma série de 10 explosões em igrejas, hotéis e locais públicos causou mais de 200 mortes e deixou centenas de feridos no Sri Lanka, neste domingo de Páscoa (21/04/19). O ataque foi repudiado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). Pelas redes sociais, o chefe do Palácio do Planalto criticou o extremismo religioso.

“Mesmo neste dia sagrado, o extremismo deixa rastros de morte e dor. Em nome dos brasileiros, condeno os ataques que deixaram centenas de vítimas no Sri Lanka, inclusive em igrejas, onde se celebrava a Ressurreição de Cristo. Que Deus possa confortar os que agora sofrem’, escreveu o presidente.

No início da manhã, seis explosões simultâneas ocorreram em três igrejas – nos templos, fiéis celebravam a data comemorativa – e em três hotéis frequentados por turistas estrangeiros. Horas mais tarde, uma explosão em uma pousada matou pelo menos duas pessoas. A seguir, uma oitava explosão, perto de um viaduto, dizimou a vida de três policiais enquanto eles interrogavam suspeitos após receberem uma pista. Duas explosões ocorreram pouco depois.

O Ministério da Defesa do Sri Lanka informou que sete suspeitos ligados às explosões foram presos.  Já o Ministério das Relações Exteriores calcula que ao menos 27 estrangeiros estão entre os mortos. O governo impôs um toque de recolher em todo o país. Lojas estão fechadas e as ruas ficaram desertas na capital.

Últimas notícias