Bolsonaro é autuado no Maranhão por aglomerar sem máscara

"A lei é para todos", tuitou o governador do estado, Flávio Dino (PCdoB). A multa pode ir de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão

atualizado 21/05/2021 20:21

bolsonaro aglomeração no maranhãoIsac Nóbrega/PR

A Vigilância Sanitária do Maranhão autuou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por não usar máscara e causar grande aglomeração durante visita a Açailândia, no interior do estado, na manhã desta sexta-feira (21/5).

A autuação foi expedida em nome de Bolsonaro e endereçada ao Palácio do Planalto. Foi dado um prazo de 15 dias para o presidente se defender das acusações.

Veja:

 

Autuação de Bolsonaro no Maranhão

A multa pode ir de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão, segundo a lei nº 6.437, de 1977, que trata de infrações à legislação sanitária, mas só é aplicada ao fim do processo.

Bolsonaro foi ao Maranhão participar de solenidade de entrega de 282 títulos definitivos de propriedades rurais do Projeto Assentamento Açaí. No evento, o presidente fez críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que havia confirmado, pela primeira vez, ser candidato à Presidência da República na eleição de 2022.

“Falando em política, para o ano que vem já tem uma chapa formada: um ladrão candidato a presidente e um vagabundo como vice”, provocou o presidente.

“A lei é para todos”

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), também ofendido, rebateu o presidente. “Bolsonaro anda preocupado com o meu peso, algo bem estranho e dispensável. Tenho ótima saúde física e mental. E estou ocupado com vacinas, pessoas doentes, medidas sociais, coisas sérias. Trabalho muito. Não tenho tempo para molecagens, cercadinhos e passeios com dinheiro público”, disse.

Dino também comentou a autuação de Bolsonaro.

Confira:

Últimas notícias