Bolsonaro apaga tuíte do “golden shower” após revelação de ação no STF

Advogados da dupla retratada nas imagens ingressaram com ação no Supremo para que a postagem fosse excluída

atualizado 22/03/2019 8:23

Foto: Igo Estrela/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) apagou de seu perfil no Twitter, nesta quinta-feira (21/3), a publicação que mostrava duas pessoas praticando o chamado “golden shower” no Carnaval. A exclusão do controverso tuíte, 16 dias após a publicação na conta oficial do presidente, acontece um dia depois de a BBC News Brasil revelar que os advogados da dupla retratada nas imagens ingressaram com pedido de um mandado de segurança ao Supremo Tribunal Federal (STF), exigindo que a postagem fosse excluída da conta de Bolsonaro.

O pedido foi protocolado na última terça (19). Na quarta-feira (20), o ministro Marco Aurélio Mello foi escolhido como relator do caso.

Procurada, a Advocacia-Geral da União informou que a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República) seria a responsável pelo caso. A BBC News Brasil entrou em contato com a Secom, que limitou-se a dizer, em nota, que “a Presidência da República informa que não vai comentar o assunto”.

A reportagem também entrou em contato com os advogados da dupla do “golden shower”. Em nota, os defensores Flavo Grossi e Cynthia Almeida Rosa disseram que tomaram conhecimento da exclusão “aparentemente voluntária do tuíte”.

“Em que pese a atitude republicana do mandatário da nação, consideramos que, processual e tecnicamente, ainda há questões jurídicas a serem enfrentadas pelo Supremo Tribunal Federal”, dizem os advogados, sem dar detalhes sobre o processo, que corre em segredo de Justiça.

“É preciso destacar que a atitude do presidente é uma grande vitória para os artistas, para a democracia e para o pleno respeito e fruição dos direitos fundamentais, que são inalienáveis, irrenunciáveis e invioláveis, inclusive por ações do Presidente da República”, prosseguem os defensores.

Confira o tuíte que o presidente deletou de sua conta (as cenas do vídeo são fortes):

Twitter/Reprodução

Últimas notícias