metropoles.com

Bolsa Família paga R$ 50 a mais para gestantes e adolescentes este mês. Veja quem recebe

Benefício adicional do Bolsa Família será concedido a mulheres grávidas, crianças a partir de 7 anos e adolescentes entre 12 e 18 anos

atualizado

Compartilhar notícia

Jeane de Oliveira/Pronatec
Foto colorida de pessoa branca segurando o cartão do novo bolsa família - Metrópoles
1 de 1 Foto colorida de pessoa branca segurando o cartão do novo bolsa família - Metrópoles - Foto: Jeane de Oliveira/Pronatec

O governo federal inicia, na segunda quinzena de junho, o pagamento do adicional de R$ 50 ao Bolsa Família, o chamado Benefício Variável Familiar (BVF). O valor extra é concedido a gestantes, crianças a partir de 7 anos e adolescentes com idade entre 12 e 18 anos. O montante é somado à parcela de R$ 600, paga mensalmente aos beneficiários.

Desde março, famílias com dependentes de até 7 anos recebem o Benefício de Primeira Infância, equivalente a um adicional de R$ 150 por criança nessa faixa etária. A partir de 19 de junho, os demais grupos que têm direito ao extra começam a receber.

O benefício variável é pago de acordo com a composição familiar, e é dividido em três modalidades:

  • Benefício Variável Familiar Criança: voltado para crianças que tenham entre 7 e 12 anos incompletos;
  • Benefício Variável Familiar Adolescente: para famílias que têm dependentes com idade entre 12 e 17 anos incompletos;
  • Benefício Variável Familiar Gestante: que beneficia tanto gestantes quanto lactantes.

Veja o calendário dos pagamentos do Bolsa família em junho:

NIS – data do pagamento

  • Final 1: pagamento em 19 de junho;
  • Final 2: pagamento em 20 de junho;
  • Final 3: pagamento em 21 de junho;
  • Final 4: pagamento em 22 de junho;
  • Final 5: pagamento em 23 de junho;
  • Final 6: pagamento em 26 de junho;
  • Final 7: pagamento em 27 de junho;
  • Final 8: pagamento em 28 de junho;
  • Final 9: pagamento em 29 de junho;
  • Final 0: pagamento em 30 de junho.

Podem receber o Bolsa Família:

  • Famílias inscritas no CadÚnico, com dados corretos e atualizados;
  • Com renda familiar per capita mensal igual ou inferior a R$ 218;
  • Famílias que já recebem o Bolsa Família, mas tem valor inferior a 1 salário mínimo (R$ 660) por pessoa, continuarão recebendo metade do benefício por 2 anos. Ao fim do período, serão desligadas do programa.

A inscrição pode ser feita em um posto de cadastramento ou atendimento da assistência social no município. Para encontrar o posto de atendimento mais próximo, saber as documentações necessárias ou para outras informações, acesse a página do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome e encontre a aba Serviços – Carta de Serviços.

A MP do Bolsa Família

Publicada em março, a medida provisória (MP) que recriou o Bolsa Família (em substituição ao Auxílio Brasil) estabeleceu o valor mínimo de R$ 600 para as famílias cadastradas no programa, além de R$ 150 por criança de até 6 anos e R$ 50 por dependente entre 7 e 18 anos ou gestantes. Estão elegíveis para receber o benefício as famílias que tenham renda de até R$ 218 por pessoa.

A medida provisória é um dispositivo que permite ao presidente criar leis com efeito imediato. A proposta, no entanto, tem 120 dias para ser aprovada pelo Congresso Nacional, caso contrário, perde os efeitos. O texto da MP foi aprovado na terça-feira (30), na Câmara dos Deputados, e na quinta-feira (1º/5) no Senado Federal, horas antes de “caducar”, ou seja, perder a validade.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações