Armados com fuzis, traficantes festejam invasão em favela do Rio

Traficantes do Comando Vermelho expulsaram integrantes da própria facção na comunidade de Manguinhos, após divergências internas

atualizado 16/01/2022 13:07

rj troca de comando em manguinhosReprodução

Rio de Janeiro – Uma divergência interna no Comando Vermelho, uma das principais facções do Rio de Janeiro, resultou em uma ação na madrugada deste domingo (16/1) para promover uma troca da chefia do tráfico na comunidade de Manguinhos, na zona norte carioca.

De acordo com reportagem do jornal O Dia, os líderes do tráfico na favela de Manguinhos foram rendidos e expulsos por integrantes do Comando Vermelho que apoiam o traficante Wilson Quintanilha, conhecido como Abelha. O êxito da ação foi festejado pelos criminosos, armados com fuzis, nas ruas da comunidade.

O grupo que promoveu a troca de chefia no Comando Vermelho em Manguinhos se identifica como “Tropa do Mel”, que seria uma referência ao time de futebol criado pelo traficante Abelha.

Ainda de acordo com o jornal O Dia, o setor de inteligência da Polícia Militar do Rio de Janeiro descobriu que a mobilização de criminosos nesta madrugada em Manguinhos reuniu cerca de 100 traficantes do Complexo da Penha (comunidade também localizada na zona norte do Rio), convocados por Abelha para a invasão.

Apesar do armamento pesado usado pelos traficantes, não houve troca de tiros durante a invasão de Manguinhos.

Motivação

Segundo o jornal O Dia, a troca de comando ocorreu depois que uma adolescente de 16 anos foi baleada, por recusar a se relacionar com um dos traficantes que comandavam o local.

Após o episódio, a cúpula do Comando Vermelho teria pedido explicações a Alexander de Jesus Carlos, o Choque 220V, preso no Complexo de Bangu, então chefe do tráfico na favela de Manguinhos.

O homem, além de não negar a violência, teria confessado outra violações contra moradores de Manguinhos. Entre elas, práticas de milícia como expulsões por falta de pagamento das taxas de internet pirata, cobrança de líderes religiosos, aumento do gás e do moto-táxi.

O anúncio da expulsão foi feito elas redes sociais: “Gestão nova no Bagulho”. A publicação foi feita em um perfil da favela, administrado pelos próprios traficantes, segundo o jornal O Dia.

Mais lidas
Últimas notícias