Após denúncias de assédio, pastor é exonerado de gabinete no Senado

José Ildson foi acusado por duas mulheres de assédio sexual durante curso para uma vaga destinada a profissionais de saúde

atualizado 22/07/2021 14:52

Homem foi acusado por assediar mulher. É a segunda denúnciaReprodução

O pastor José Ildson Viana Barbosa foi exonerado do cargo de assessor parlamentar da senadora Mailza Gomes (PP-AC), nesta quinta-feira (22/7).Ildson foi acusado por duas mulheres de assédio sexual em curso que ministrava para uma vaga para profissionais de saúde.

Segundo o site AC 24 Horas, a exoneração, que consta no Boletim Administrativo do Senado Federal, foi motivada pelas denúncias. Ele ganhava um salário de R$ 14 mil desde 2019 no cargo.

Ao Metrópoles, a assessoria de Mailza Gomes afirmou que a exoneração aconteceu assim que a parlamentar ficou sabendo das denúncias. “A senadora não compactua com nenhum tipo de assédio ou violência contra as mulheres”, disse.

Entenda o caso

Ildson é apóstolo e diretor de Relacionamentos Institucionais da Santa Casa de Rio Branco.

Segundo as denúncias, o pastor teria oferecido a uma aluna fazer uma massagem “que ela nunca iria esquecer”. Na ocasião, ele chegou de surpresa na casa da mulher.

A denunciante afirma que existem ao todo cinco mulheres que passaram pelas situações, mas três delas não irão à polícia. “A pessoa [o apóstolo] se aproveita da fragilidade, pelo fato de a candidata já ter terminado a faculdade e não ter tido uma oportunidade de trabalho. Eu mesma só fui participar porque no anúncio dizia que não precisava de experiência”, conta.

Ao AC 24 Horas, José Ildson disse que não tem conhecimento da primeira denúncia e que pedir massagem durante a entrevista de emprego não faz parte de sua conduta.

Últimas notícias