Após briga com Maia, Joice manda indireta a Vitor Hugo: “Falta tato”

Segundo a líder bolsonarista, confusões entre parlamentares têm impedido o andamento das propostas do governo

atualizado 22/05/2019 13:56

Igo Estrela/Metrópoles

A líder do governo no Congresso Nacional, Joice Halssemann (PSL-SP), mandou uma indireta nesta quarta-feira (22/05/19) para o líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL-GO). Segundo a parlamentar, pessoas com “falta de tato” estão atrapalhando o andamento dos projetos do governo.

“A gente está vendo que a falta de tato de algumas figuras que acham que no enfrentamento vão ganhar alguma coisa está nos gerando prejuízo. Agora, por exemplo, a gente está com uma pilha de Medidas Provisórias paradas porque durante as últimas duas semanas houve essa troca de caneladas e a gente não conseguiu avançar com as MPs”, disparou.

A deputada se disse preocupada em não aprovar os projetos do governo devido às trocas de farpas que registradas nos corredores da câmara. “É o preço que se paga pela falta de tato de se lidar com pessoas dentro do Congresso Nacional”, completou.

Além disso, a líder bolsonarista comentou que, em virtude das provocações, ela tem trabalhado mais para amenizar a situação no Congresso. “Estou fazendo todo o meu trabalho e mais um pouco que não é de minha responsabilidade. O restante, quem está atrapalhando no meio do caminho que responda por si”, disse.

Ao ser questionada sobre a troca de farpas entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Vitor Hugo (PSL_GO), ela apenas suspirou: “Pois é…”. “Vou fazer meu trabalho e tocar o que dá para fazer. Em relação ao restante, vocês perguntem a quem está no meio dessa confusão. Estou criando pacificação, e não confusão”, destacou.

Confusão nas redes
O deputado goiano tem criticado o Legislativo nas redes sociais. Em grupos de WhatsApp, ele enviou uma mensagem que associa a negociação do governo com o Congresso a sacos de dinheiro. Maia teve acesso à sátira e ficou irritado.

No final de uma reunião do colégio de líderes de partidos nessa terça-feira (21/05/2019), Maia afirmou que a iniciativa torna o diálogo “impossível” e que a situação é “incontornável”, interpretando que houve um rompimento. Já o líder disse que não vê a situação como um rompimento e que vai aguardar a “poeira baixar” para conversar com o presidente da Casa.

Com a situação, no início da semana, Joice sugeriu uma “peneirada” no governo e disse que há integrantes da equipe que têm atrapalhado o trabalho.

Últimas notícias