“Vou continuar construindo pontes”, diz Vitor Hugo após briga com Maia

Líder do governo quer deixar a "poeira baixar" antes de buscar presidente da Câmara: "Não acho que foi um rompimento completo"

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agênciia BrasilFabio Rodrigues Pozzebom/Agênciia Brasil

atualizado 22/05/2019 13:11

O líder do governo na Câmara, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), disse que vai deixar a poeira baixar antes de procurar uma conversa com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tornou explícita na reunião de líderes nesta terça-feira (21/05/2019) seu rompimento pessoal com o representante do Planalto no Parlamento.

O político goiano avalia que a manifestação de Maia não representa um rompimento definitivo e que vai continuar trabalhando para “construir pontes”.

“Não acho que foi um rompimento completo. Ele só explicitou algo que já acontecia“, disse o líder. “Vou buscar me aproximar. Não é bom para ninguém. Não é bom para o país que haja o presidente da Câmara e o líder do governo sem troca de ideias, que não compartilhem visões, que não cheguem ao meio-termo. Isso não é ideal para a pauta da Câmara”, pontuou o pesselista.

Vitor Hugo disse que não tinha intenção de criticar os deputados e que compartilhou no grupo do PSL uma charge indicando que o diálogo com o Congresso só existia se houvesse emendas ou dinheiro. “Minha intenção nunca foi atacar o Parlamento, senão eu estaria me atacando”, assegurou.

“Não fui eu que desenhei a charge. A charge existe e a minha exortação no grupo do PSL era para que a gente conseguisse fazer um trabalho para moldar a percepção da sociedade. Acho que parte da população brasileira acha que só há emendas quando há dinheiro envolvido”, explicou.

Últimas notícias