Apesar de distanciamento de França, Boulos vê candidatura em novo patamar

Candidato do PSol à Prefeitura de São Paulo fez caminhada neste sábado em Heliópolis, na capital paulista

atualizado 21/11/2020 16:14

Guilherme Boulos (PSOL), candidato à prefeitura de São Paulo e Orlando SilvaFábio Vieira/Especial Metrópoles

São Paulo – Guilherme Boulos, candidato do PSol a prefeito de São Paulo, disse que a adesão de sete partidos de esquerda à sua chapa para a prefeitura paulistana leva a campanha psolista para “um novo patamar” para tentar uma virada contra o candidato à reeleição Bruno Covas (PSDB).

“Tenho muito orgulho por ter recebido apoio de sete partidos numa frente democrática”, disse Boulos em conversa com a imprensa após caminhada em Heliópolis, maior favela da cidade, na manhã deste sábado (21/11).

Essa frente conta com PT, UP, PDT, Rede, PCdoB, PCB e também com o PSB, mas não com o candidato do PSB nesta eleição, o ex-governador Márcio França, que chegou no terceiro lugar na disputa de primeiro turno.

Havia a expectativa até o final da semana passada por uma adesão de França à campanha. Mas o apoio não apenas não veio, como França, na verdade, tem criticado o PSol. Ao se manter neutro, nessa sexta (20/11), ele disse que não aceitaria “empurrões”.

Já neste sábado (21/11), França mostrou que continua chateado e fez uma nova postagem com um ataque ao partido de Guilherme Boulos.

0
Resposta

“Nossa batalha é por inverter prioridades em São Paulo. Não aceito que na cidade mais rica da América Latina tenha gente passando fome, tenha pessoas vivendo com esgoto a céu aberto enquanto o prefeito atual resolveu priorizar uma obra de R$ 100 milhões no Anhangabaú”, discursou ainda o candidato do PSol a prefeito da capital paulista.

O instituto Datafolha divulgou no fim da tarde de quinta-feira (19/11) a primeira pesquisa de intenções de voto para o segundo turno na capital paulista.

Segundo o levantamento, o prefeito e candidato à reeleição Bruno Covas tem 58% das intenções de votos válidos. O desafiante Guilherme Boulos ficou com 42%.

Últimas notícias