Márcio França nega apoio em SP e frustra Boulos: “Não aceito empurrões”

Guilherme Boulos, candidato do PSol havia dito mais cedo que contava com França, do PSB, em sua campanha no segundo turno em São Paulo

atualizado 20/11/2020 18:58

Márcio França debate candidatos prefeitura eleicoes sp 202019Rafaela Felicciano/Metrópoles

São Paulo – O ex-governador Márcio França (PSB) decidiu se manter neutro na disputa do segundo turno entre Guilherme Boulos (PSol) e Bruno Covas (PSDB) pela prefeitura da capital paulista. França não chegou a um acordo em reunião desta quinta-feira (19/11) com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, que anunciou apoio ao psolista. A decisão, anunciada por França no Facebook, frustra os planos de Boulos para fazer uma frente ampla que o fortaleça na busca pelos votos que precisa, já que está atrás nas pesquisas.

Guilherme Boulos disse mais cedo nesta sexta que contava não só com o apoio, mas com a presença de Márcio França em sua campanha de segundo turno.

“O Márcio fez uma campanha no primeiro turno também antiDoria, porque também viu que a prefeitura de São Paulo se tornou quase um puxadinho do Palácio dos Bandeirantes e quem dá as cartas é o Doria, então tenho expectativa que o Márcio esteja conosco nos próximos 10 dias”, disse o psolista, em evento em que celebrava o apoio inclusive do PSB nacional, mas também de partidos como PT, PCdoB e PDT.

Na nota publicada no Facebook, França diz que não faz o que não está convencido, nem seus eleitores. “Não aceito empurrões”, afirma.

França e Boulos travaram embates o primeiro turno na disputa por votos da esquerda. Em um debate promovido pela revista Veja, no começo deste mês de novembro, o ex-governador chegou a levantar dúvidas sobre o currículo do adversário, que acusou o ex-candidato do PSB de espalhar fake news.

0

 

França tornou-se governador porque era vice de Geraldo Alckmin (PSDB), que renunciou em 2018 para concorrer à Presidência da República. Em 2018, disputou o segundo das eleições para o governo do estado com o tucano João Doria e foi mais votado do que o candidato do PSDB dentro da capital. Por isso era importante para Boulos conseguir esse apoio formal.

Na eleição municipal de 2020, França ficou em terceiro no primeiro turno, com 13,64% dos votos (foi escolhido por 728.441 paulistanos).

O instituto Datafolha divulgou no fim da tarde desta quinta-feira (19/11) sua primeira pesquisa de intenções de voto para o segundo turno na capital paulista. Segundo o levantamento, o prefeito e candidato à reeleição Bruno Covas tem 58% das intenções de votos válidos. O desafiante Guilherme Boulos ficou com 42%.

Veja a postagem de Márcio França no Facebook na tarde desta sexta-feira (20/11):

A eleição terá seu segundo turno no dia 29 de novembro.

Últimas notícias