Anvisa autoriza novas condições de conservação para vacina da Pfizer

A nova bula permite que a vacina seja mantida em temperatura controlada entre 2 e 8 graus Celsius por até 31 dias

atualizado 28/05/2021 9:58

Vacina pfizerAline Massuca/Metrópoles

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aumentou de cinco para 31 dias o prazo que a vacina contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, produzida pela Pfizer pode ficar em geladeiras comuns.

Nesta sexta-feira (28/5), a agência divulgou comunicado com as novas condições de conservação e armazenamento para a vacina. O novo texto de bula permite que a vacina seja mantida em temperatura controlada entre 2 e 8 graus Celsius por até 31 dias.

“Para aprovar as novas condições, a equipe técnica da Anvisa avaliou os estudos de estabilidade apresentados pelo laboratório desenvolvedor da vacina. Os estudos de estabilidade servem para definir por quanto tempo e em quais condições a vacina mantém suas características sem alteração”, informa, em nota.

A Anvisa recebeu o pedido de alteração na última sexta-feira (21/5) e a análise foi realizada durante esta semana.

Flexibilização

Em abril, a Anvisa havia flexibilizado as regras para armazenamento. Anteriormente, os frascos da vacina da Pfizer tinham de ser armazenados em temperaturas entre -90º e -60º. Depois, passaram a ser guardados em temperaturas entre -25º e -15º por um período de até duas semanas.

Segundo a Anvisa, estudos mostraram que a flexibilização da temperatura de conservação não prejudica a estabilidade do imunizante.

Distribuição

Após o anúncio da Anvisa, o Ministério da Saúde informou que a partir de agora, a vacina da Pfizer poderá ser distribuída para todo Brasil.

As novas regras de armazenamento coincidem com a faixa de temperatura mais comum nas salas de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Anteriormente, a orientação era de que as vacinas da Pfizer fossem aplicadas em até cinco dias quando chegassem nos municípios”, pondera a pasta, em nota.

Últimas notícias