Antes de operação, pastor do MEC louvou o “Deus da consolação”

Pastor Gilmar Santos é alvo da operação da Polícia Federal que investiga tráfico de influência e desvios de recursos no MEC

atualizado 22/06/2022 13:21

Reprodução

Antes da operação Acesso Pago, deflagrada nesta quarta-feira (22/6) pela Polícia Federal (PF) para investigar desvios de recursos no Ministério da Educação (MEC), o pastor Gilmar Santos, da Assembleia de Deus, louvou o “Deus de toda consolação”.

O pastor figura no centro do esquema de corrupção investigado pela PF. Ele fazia parte de um “gabinete paralelo” no MEC, durante a gestão de Milton Ribeiro, que teria influência nas escolhas das cidades que recebem verba federal. O ex-ministro da pasta foi preso.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

“Somos uma geração sofrida, ferida. Somos um geração que enfrentamos uma pandemia, que enfrentamentos a aquisição de uma cesta básica muito cara. É preciso resistir da vida. O Senhor está dizendo: ‘Eu te consolo’. Ele é o Deus de toda consolação”, louvou Gilmar Santos, em culto publicado na noite dessa terça-feira (21/3) nas redes sociais.

“Crente sofre, passa por lutas, mas tem garantido uma vitória eterna”, escreveu o pastor, na legenda de um dos vídeos.

Operação

Além da prisão de Ribeiro, a PF também cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos. Eles são ligados ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e apontados como lobistas que atuavam no MEC.

Os pastores negociavam com prefeitos a liberação de recursos federais – mesmo sem ter cargo no governo.

Segundo a PF, “com base em documentos, depoimentos e Relatório Final da Investigação Preliminar Sumária da Controladoria-Geral da União (CGU), reunidos em inquérito policial, foram identificados possíveis indícios de prática criminosa para a liberação das verbas públicas”.

Ao todo, estão sendo cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e 5 prisões nos estados de Goiás, São Paulo, Pará, além do Distrito Federal. Outras medidas cautelares diversas, como proibição de contatos entre os investigados e envolvidos, também foram efetuadas.

Quem é Gilmar

Como mostrou o Metrópoles, Gilmar Santos, de 62 anos, é bastante conhecido há décadas. Casado com uma pastora (Raimunda Santos, mais conhecida como Raimundinha), ele tem 38 anos de carreira na vida religiosa. O pastor ficou famoso por ter pregações focadas em curas milagrosas e na conversão em massa de fiéis. As sessões eram gravadas e vendidas.

“São centenas de paralíticos que tem deixado cadeiras de rodas, muletas; cegos, mudos, surdos, todos curados e sendo ainda testados diante de todo o povo”, diz trecho da biografia do pastor Gilmar, publicada no extinto site do atual deputado federal e pastor Abilio Santana, mas republicada em blogs evangélicos.

Em um culto para 80 mil pessoas em São Luís do Maranhão nos anos 1990, quase 1 mil pessoas teriam se convertido à religião evangélica na mesma noite, segundo a biografia. Em um áudio de uma pregação antiga, ele é apresentado como “o pregador das multidões”.

Ainda em relação às curas, durante a pregação, alguns fiéis teriam “vomitado cânceres e obras de feitiçaria”. Até a roupa do pastor teria sido alvo dos vômitos, de acordo com a biografia.

Nesse texto sobre o pastor Gilmar, é dito que ele é conhecido também por outros nomes, como profeta de Deus, arauto das últimas horas e “A Trombeta de Deus”.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal:  https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias