Acusado de esquartejar idoso, comparsa de gata do 157 é preso no RJ

Homem acusado de sequestrar, matar, esquartejar e atear fogo em aposentado é comparsa da "Gata do 157"; ele foi preso nesta terça (18/1)

atualizado 19/01/2022 10:51

Foto: Reprodução

Rio de Janeiro – A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) prendeu, nesta terça-feira (18/1), Fabiano da Hora, de 21 anos, acusado por diversos crimes no município de Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

Ele é apontado como comparsa de Thalita Silva Teixeira, a ‘Gata do 157‘, de 19 anos, além de responsável por roubar, sequestrar, matar, esquartejar e atear fogo no corpo do aposentado Álvaro Luis Luna, de 57 anos.

Assista ao momento da prisão de Fabiano:

Da Hora foi localizado no bairro Shangri-Lá, onde o bando cometia a maior parte dos assaltos. Neste bairro, morava Álvaro Luna, que teve sua casa invadida no dia 26 de dezembro. Após a invasão, os criminosos levaram o aposentado no próprio carro, junto a pertences roubados da casa.

0

No dia 30 de dezembro, após dias desaparecido, um corpo foi encontrado em um matagal próximo ao imóvel. De acordo com a família, os restos mortais eram de Álvaro. A polícia, no entanto, aguarda o resultado do teste de DNA.

A Polícia Civil afirma que também participaram do crime Luan Nascimento Duarte Silva, de 18 anos, namorado de Thalita, e o irmão dele, Darlan Nascimento Duarte Silva. Darlan é o único membro da quadrilha que segue foragido.

Fabiano da Hora, Luan e Darlan são acusados também de crimes de estupro e estupro de vulnerável.

“Gata do 157”

Embora não possua, até o momento, ligação com a morte do aposentado Álvaro Luna, Thalita teve, segundo a 54ª DP (Belford Roxo), envolvimento direto com outros crimes cometidos pelo bando. Em um dos assaltos, ocorrido na madrugada do dia 3 de janeiro, a jovem chegou a portar um fuzil durante abordagens a várias vítimas.

0

De acordo com investigações, inicialmente, a jovem aproveitava a aparência física para atrair possíveis vítimas de roubo, e quem executava eram outros membros da quadrilha, como o namorado dela, Luan. No entanto, mais tarde, Thalita passou a se envolver diretamente nos crimes.

“Ela exercia função no grupo, que agora foi desmantelado com a prisão do Fabiano da Hora, que é um dos principais integrantes. A participação dela está muito ligado ao Fabiano e ao Luan, que são pessoas que tinham um relacionamento com ela. Segundo o que levantamos, a função inicial dela era de identificar possíveis vítimas, em razão da boa aparência e ganhar a confiança, não só de homens. Essas possíveis vítimas eram repassadas pro grupo, que realizava os assaltos. Mas ela também participava de determinados assaltos, temos registro de ocorrências em que ela foi reconhecida como assaltante”, afirmou o delegado Alexandre Netto, da 54ª DP, ao Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias