metropoles.com

Acusado de cometer mais de 100 estupros foge de presídio em Goiás

Wanderson Carvalho, o Dentinho, estava preso desde 2004 e fugiu enquanto fazia trabalho de limpeza na prisão. Investigação foi instaurada

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução / DGAP
estuprador Wanderson Alves Carvalho, o dentinho, fugiu do presídio em goiás
1 de 1 estuprador Wanderson Alves Carvalho, o dentinho, fugiu do presídio em goiás - Foto: Reprodução / DGAP

Goiânia – Um dos maiores estupradores da história de Goiás conseguiu fugir do presídio na noite dessa sexta-feira (17/12). Já condenado a 196 anos de prisão e acusado de cometer mais de 100 estupros, Wanderson Alves Carvalho, conhecido como Dentinho, aproveitou-se do momento em que fazia um trabalho de limpeza numa das unidades do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e fugiu.

Ele havia sido preso em 2004. A Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou neste domingo (19/12) que instaurou um processo de investigação para apurar as causas e circunstâncias da fuga de Wanderson. Ele cumpria pena na Penitenciária Odenir Guimarães (POG).

Conforme apuração da polícia, até então, o criminoso havia sido escoltado da POG até a base do Grupo de Guaritas e Muralhas (GGM), que fica nas dependências da Gerência de Segurança, para fazer a limpeza do local. No início da noite, no entanto, as equipes do GGM que retornaram à POG notaram que ele não havia voltado para o presídio.

As polícias Militar e Civil foram acionadas para ajudar a Polícia Penal na investigação iniciada pela DGAP. A intenção do órgão é analisar todas as possibilidades envolvendo o caso para que sejam aplicadas as devidas sanções aos envolvidos.

História

“Dentinho” agiu entre 2001 e 2004, em Goiânia e região metropolitana. Para cometer os estupros, ele costumava usar uma bicicleta, vestia boné e bermuda. Ele abordava, principalmente, universitárias e a tática era quase sempre a mesma.

O estuprador pedia uma informação na rua e, quando a mulher ia responder, ele a atacava com uma arma. Em seguida, a vítima era levada para uma área baldia, onde ele não só praticava o estupro, mas também roubava pertences, como joias e celulares.

Wanderson chegou a fugir da prisão numa situação anterior, em maio de 2004, em Paraúna (GO), a 160 quilômetros de Goiânia. Nessa fuga, a polícia levou quase um mês para localizá-lo.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações