*
 

Mais de seis milhões de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) testam seus conhecimentos neste domingo (5/11). Em algumas regiões do Distrito Federal, os candidatos enfrentaram chuva forte. Às 13h em ponto, os portões foram fechados. Contrariando outras edições, na Universidade Paulista (Unip) — um dos maiores locais de  prova do DF — nenhum estudante se atrasou.

Teve quem ficasse “chateado” com a pontualidade dos candidatos. O estudante Vitor de Melo, dono do canal “Par ou Ímpar”, no YouTube, veio do Valparaíso (GO) para fazer a cobertura do exame. “É a primeira vez que venho cobrir o Enem e não teve um atrasado sequer. É decepcionante”, brincou.

MICHAEL MELO/METRÓPOLES

Humorista se “decepcionou” com pontualidade dos estudantes

 

Na data de hoje foram aplicadas provas de linguagens, ciências humanas e redação, com tempo de duração de 5 horas e 30 minutos. Os portões abriram às 12h. As provas tiveram início às 13h30. No próximo domingo (12/11), os aspirantes a vagas em universidades testarão seus conhecimentos em matemática e ciências da natureza.

Até às 9h deste domingo (5/11), 84% dos participantes já tinham acessado seu cartão de confirmação da inscrição, que informa o local da prova.

Na Unip, uma fila quilométrica de estudantes ansiosos se formou antes da abertura dos portões, mas, apesar do tumulto, todos conseguiram entrar no local.

MICHAEL MELO/METRÓPOLES

Filas se formaram antes da abertura dos portões, na Unip

A estudante Aline Ribeiro, 17 anos, tentapela segunda vez uma nota que garanta uma vaga no curso de mecatrônica na Universidade de Brasília (UnB). “É um curso muito difícil e tive uma nota mediana no ano passado. Estudei mais e estou torcendo para que seja o suficiente”, disse.

Já Matheus Souza, da mesma idade, aluno do Centro de Ensino Médio do Cruzeiro, realiza o exame pela primeira vez e acredita que a tentativa será muito mais do que um ensaio para 2018. “Foi um ano de muita preparação e estou com boas expectativas. Tenho muitos amigos que estudam na UnB e quero muito ir pra lá também, é muito bom para o currículo”, defendeu.

Apoio moral
A turma de um curso preparatório preparou até uma música na entrada do exame para incentivar os alunos. O refrão, cantado em alto e bom som, dizia: “eu vou passar na UnB”. Veja o vídeo:

Crise afeta até ambulantes
Apesar da movimentação intensa de estudantes, alguns ambulantes não ficaram satisfeitos. É o caso de Nilda Rodrigues, de 45 anos. Ela chegou cedo à Unip para montar seu ponto de venda de doces, bebidas e itens para os candidatos, mas reclamou da baixa procura. “Já teve ano em que em fazia R$ 1 mil em um dia. Vendia 10 isopores de água num dia só, hoje, não vendi nem meio ainda”.

Ela tem um ponto fixo W3 Sul, mas há cerca de quatro anos acompanha locais de realização concursos e exames para vender seus produtos. “Diminuiu muito o movimento. Este mês não consegui nem pagar meu aluguel”, lamenta.

 

 

COMENTE

chuvaEnem 2017
comunicar erro à redação

Leia mais: brasil