PSol destinou maior valor de emenda individual para a pasta de Damares

Em média, cada deputado do partido distribuiu R$ 932 mil para Ministério dos Direitos Humanos, montante que supera outras legendas

atualizado 05/01/2022 22:51

Andre Borges/Esp. Metrópoles

Cada um dos nove deputados federais do PSol destinou, em média, R$ 932 mil em emendas individuais para ações e programas do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. A pasta comandada por Damares Alves, cuja gestão é marcada por polêmica com partidos de esquerda, como o PSol.

Em segundo, aparece o PSC, uma legenda evangélica, mas bem atrás. Cada um dos 12 deputados do PSC destinou R$ 409 mil para esse ministério.

O PT, por exemplo, partido com forte ligação com o setor dos direitos humanos, ficou em 13º lugar nesse ranking. Cada deputado petista distribuiu para a pasta de Damares apenas R$ 139 mil.

Ao todo, os parlamentares apresentaram 5.269 emendas individuais ao Orçamento de 2022, totalizando R$ 9 bilhões. Cada deputado pode apresentar até 25 emendas, com o valor total de R$ 17,6 milhões. Metade desse montante, eles precisam destinar obrigatoriamente para a área de saúde, cujo ministério é sempre o maior contemplado.

Por partido, a bancada do PSOL fica em segundo, totalizando R$ 8,4 milhões para o ministério de Damares. Perde apenas para o PSB, outra legenda de esquerda, que, ao todo, distribuiu R$ 10,5 milhões.